quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Espero voltar...





Estou de "férias" forçadas há oito meses mas vou procurar gozar uma semaninha diferente, espero voltar porque o futuro é desconhecido, aprendi a viver um dia de cada vez e o mais intensamente possível dentro das minhas possibilidades. Sei que muitas coisas vão acontecer nos próximos dias em todo o mundo mas é a lei da vida...

Esperem por mim porque preciso da vossa real companhia virtual pois dão-me um grande contributo para eu pensar sempre que amanhã vos vou encontrar...logo tornam o meu amanhã num amanhã com vida!

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

Quem não quer ser lobo não veste a pele.





Podem não ser todos mas a maioria tira-me do sério! Estou cansado de comentadores televisivos que sabem tudo e têm solução para tudo. Alguns já passaram pelo poder e foi o que se viu e se lá voltarem nada muda e tudo continuará na mesma!

E o povo continua à espera de milagres que não vão acontecer a não ser que se revolte!

Mas o lixo é universal, Gaza, Israel, Ucrânia, Rússia, Líbano, Síria, Iraque...mata-se sem dó nem piedade!

E vamos até onde? Será que é moda vestir a pele de lobo?

Não sei, mas faz-me doer a alma!

quinta-feira, 10 de Julho de 2014

Out...

A Maria teve uma premonição e depois de ter sido "assaltada", não é que ao virar da esquina estava o pesadelo?
Pois é! Quatro dias enfiada num cantinho da UP da ULS, com uma ENG  e ST+AN em curso...Colegas brilhantes e dedicados não se afastaram de mim... depois mais EH, mais TAC, ECO e a incerteza do que toda essa coisa pode vir a revelar...
Mas a Maria é forte e recomenda-se...
Depois de uma CONV e RA equilibrado tudo voltará ao normal  ....
Aproveitei para conversar com amigos que já não via há mais de seis meses e diga-se que todos mudamos mas nada mudou ...quer dizer, sinceramente mudou, a gincana existe nos corredores  é má, mas os Utentes estão mais confortáveis e nos momentos de desconforto todo o conforto é pouco...também não mudou a miséria humana, a violência doméstica, o alcoolismo....que a todo o momento interrompem o silêncio que deveria existir...é obra, há quem não queira estar doente e há quem teime continuar a fazer asneiras recusando ver que se transforma em doente...verdadeiros dramas familiares!
Chega!
Quando estiver mais espevitada garanto-vos que voltarei a ter em atenção as vossas publicações.....

quinta-feira, 3 de Julho de 2014

Assaltado!





A minha mente foi assaltada!
O pesadelo voltou a entrar,
Não veio só trouxe angústia!
Ao entrar na casa que é minha
Disse bem alto e repetidamente:
-Quieto! Isto é o cancro!
Mas como posso estar quieto,
Se com isso me inquieto?
Não! Tenho que impedir o assalto!
A minha vida não levais!
Pesadelo e angústia são demais
mas sou eu que tenho armas letais!
Disparados à queima roupa
Atingiram-me com doze tiros!
Ainda estou aqui e tenho fé!
Fé em mim e em Deus.
Portanto, saiam por onde entraram!
Horrível é ver-vos aqui...
Apregoem ao mundo a correr:
Que eu vou sobreviver!




quarta-feira, 2 de Julho de 2014

O meu mar

Acordei agora, ainda é cedo!
Subo os estores e num segundo,
Deparo-me contigo.
Manchado pela sombra das nuvens,
Mesclado de tons de prata brilhante
Quando os raios de sol te tocam.
Estás a meus pés, calmo,
Mais calmo que há uns dias atrás!
Parece que não te mexes
Na ilusão dos meus sentidos!
Mas  tua calma é traiçoeira.
Na praia beijas a areia,
Enquanto isso bates na rocha
Fazendo-a largar micro partículas
e roído de inveja pela sua dureza
espumas-te de imensa raiva!
Sinto que trabalhaste a noite toda
pelo sargaço que puseste em terra.
É uma dádiva tua para adubar os campos,
e dás trabalho a quem dele desfruta.
Está na hora de me aproximar mais de ti!
Contemplar-te na duna que é tua e minha,
Onde o nosso olhar é recíproco
E onde os segredos são mútuos!
Gosto de ti com teus defeitos e virtudes!
Gosto das brincadeiras que fazes,
Quando me molhas os pés
e pareces roubar-me a fina areia que piso.
Gosto dos salpicos que me atiras,
Quando sobre as rochas me aproximo de ti!
Tu sabes que te adoro e respeito,
Quer ao sol quer ao luar .
Em ti descanso o meu olhar,
Porque tu ...  és o meu mar!

segunda-feira, 30 de Junho de 2014

Falecer...

A todos os Andrés, Manueis, Antónios
e muitos outros que em vão partiram!
O Amor das mães que vos perderam
Tem toda a dor que nunca alguma vez sentiram..
Gerados, paridos, educados como puderam
Foram sempre o núcleo e o sentido da vida!
Num momento, tudo se destrói para sempre.
Procuram-se respostas para qualquer incidente...
Que importa saber o quê e o porquê?
Tudo se transforma na vida, perdem-se filhos
e os netos que nem sempre há ou jamais haverá!
Ser mãe é querer ser avó para nunca se sentir só!
Na guerra, na estrada, na diversão...
Em qualquer momento acontece o partir para o além!
Onde todos os dias chega sempre mais alguém.
Que ninguém se iluda com este acontecer...
É o fortalecer do amor na angústia da dor,
É triste e ninguém o quer,
Mas esta é a lei da vida...
um dia irá acontecer... o falecer!


(Um beijinho de coragem à Judite e um forte abraço ao pai do André e a todas as mães e pais que vão passando por esta provação...que Deus vos abençoe eternamente)