sábado, 16 de dezembro de 2017

#letrinhasminúsculas

Peguei no papel
Pincelei as palavras
Com letrinhas minúsculas
Provei-as... estavam tostadas
Sabiam-me a mel!
Para ti eram tristes
Desconexas e amargas
Pois não as sentiste.

Em boa verdade
Aquilo que sinto
É o que escrevo
E se te parece que há falsidade
Ou descargas de fel.
É porque vês ao contrário
No teu imaginário
O que não existe no abecedário!

(Mariavaicomasoutras)
#natal

Este é um Natal!
Presépios, luzes, enfeites
Ritmo de compras frenéticas
Algumas talvez patéticas.
Ceias com mesas cheias
E crianças enganadas
À espera do pai Natal
Que não trás prendas trocadas!

Este é o outro Natal!
Num mundo desigual
De olhares tristes, almas frias
Sofrimento, abandono e solidão.
Compras que ficam nas montras
Não há no bolso um tostão.
Pratos nas mesas vazias
E crianças esquecidas
Pelo próprio Pai Natal!

Enfim que mais poderei dizer?
Cada um tem seu Natal
A divertir-se ou quem sabe se a sofrer!

(Mariavaicomasoutras)

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

#descrença

Toda a espera tem um custo
Seja o motivo qual for
Mesmo a espera de um amor
Pode ter um preço injusto.

No desespero dessa espera
Uma coisa pelo menos se alcança
A eterna e acre desconfiança
Da palavra que nunca será sincera.

Porque o que da boca sai
Quando o pensar se distrai
Ao olhar para aquilo que não tem

Deixa na espera a indiferença
Numa fria e apática descrença
Até no abraço de alguém!

(Mariavaicomasoutras)

domingo, 10 de dezembro de 2017

#segredosdavida

Reboliço maldito
Que sempre acordas
Meus olhos fechados
Sem hora marcada.
Certo é que respondo
Às diversas chamadas
De boca calada.
O irreal acontece
Pouco tempo depois
E faz parte da história.
Deste modo recordo
Por vontade própria
Que é com tais factos
Que se tece o passado
Num doce amanhecer
De honra e glória!


(Mariavaicomasoutras)

sábado, 9 de dezembro de 2017

#narcisismo

Se for pássaro algum dia
Não sei se quero voar
Com a ânsia de encontrar
Nas ilusões alegria!

Por outro lado asas ter
Mas acabar prisioneiro
Num imenso cativeiro
É uma vida a esquecer.

Com este ponto de vista
Talvez seja um Narcisista
Que se acomoda apenas.

Contudo o que mais certo sei
É que pássaro não serei
Apesar de já ter penas!


(Mariavaicomasoutras)

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

#numsopro

Num sopro...Apaga-se a vela
Deixando a nu
Um pavio queimado!

Num sopro...Esvoaçam as folhas
Deixando sem graça
A árvore ao frio!

Num sopro...Projeta-se areia
Deixando a chorar
O frágil do olho!

Num sopro...Reacende-se a chama
Deixando que arda
De brasa até cinza!

Num sopro...Se perde um amigo
Deixando em nós
A maior solidão!

Num sopro...Se perde uma vida
Deixando a pairar
O gosto em ferida!

De que serve um sopro
Na vida da gente?
Pelo que se sente...
Ninguém fica contente!


(Mariavaicomasoutras)

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

#adeusÉprecisotersorte

Quando fecundamos na mente de alguém
Não nos ocorre porventura a ideia
Que na vida é sempre preciso ter uma dose de sorte
Já que algum dia a polémica estética passeia
Sempre ao som de uma falsa modernidade
E de imediato é clamada a nossa inditosa morte.

Arrasam-me por ser demasiado alto
Desenquadrando a beleza a muita gente.
Marginalmente a um rio e Jardim criado
Acabo maltratado  impunemente
Pressentindo que meu fim terá chegado.

Só partirei quando de acolá me virem partir
Até lá fico de olhos e boca aberta a sorrir
Num silêncio somente abafado pela Sra d'Agonia.

Poucos verterão as suas lágrimas por mim
Saudades comigo apenas levo as do Jardim
E o desencanto de uma Princesa do Lima perdidamente vazia.


(Mariavaicomasoutras)