terça-feira, 21 de novembro de 2017

#pegadasnaareia

Tantas pegadas deixamos
Anónimas e incruentas
Nas tardes ensolaradas
Sem um pingo de ciúme
Naquelas finas areias 
Onde o sussurro das sereias
Nos despertava os sentidos.

Fixo agora o olhar nelas
À procura dos teus passos,
Ou mesmo da silhueta
Que o teu corpo deitado 
Marcava de forma discreta.
Encontro nas dunas saudades
Dessa partilha de abraços.

(Mariavaicomasoutras)



domingo, 19 de novembro de 2017

#repetidamente

Abre-se a janela
Sacode-se o pó.
Repetidamente... ele paira no ar
Viras-lhe as costas e volta a entrar.
Teimoso que é!

Abre-se a boca
Solta-se a palavra.
Repetidamente... ela não se cala
E tem o efeito por vezes de bala.
Impertinente que é!

Abre-se a pálpebra
Para ver o dia.
Repetidamente... a lágrima sai
Escorre pelo rosto sem dizer um ai.
Tristonha que é!

Abre-se a mente
Na reflexão... está a solução.
Repetidamente... ela chega tardia
Se fosse mais cedo não acontecia!
Retardada que é!

Poeira e palavras...
Lágrimas derramadas,
Com soluções atrasadas sempre em ricochete.
Repetidamente...o dia amanhece de modo diferente.
E mais uma vez tudo se repete!


(Mariavaicomasoutras)
#passoemfalso

Por entre irregularidades
Foi uma família unida
Descalça e desprotegida
À procura de verdades.

Ditou-lhe a sorte malvada
Que à beira do precipício
Ou matava ali um vício
Ou morreria afogada.

Como bons samaritanos
Sempre juntos há bons anos
Pede o pé auxílio à mão.

E sem qualquer sobressalto
O amor falou mais alto
Contornando a tal questão.


(Mariavaicomasoutras)

sábado, 18 de novembro de 2017

"Nada é tão perigoso para aprisionar a inteligência do que aceitar passivamente as informações."(Augusto Cury)
#defeitosefeitios
Não sei se o que dizem
Nem sequer se o que ouço
Vem no eco nas ondas
Ou se perde longínquo
No fundo de um poço.

Num rol de injúrias
Algo bafientas nas cinzas contidas
Há mil corropios
De ideais desgastados
Pelos maus feitios!

Descodificar os sinais
Vulgarmente emitidos mas aprisionados
É ser livre de estar onde os demais
Quase sempre encalham
Sempre que na discórdia permamecem calados.


(Mariavaicomasoutras)

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

#cruzes

Eu fiz uma cruz em nome da Luz!
Eu fiz uma cruz esculpida na pedra.
É um exagero o que ela me pesa
Tudo porque está tão firme e presa.

Olho para a cruz, fui eu que a pus!
Olho para a cruz porque me seduz.
E por todo o tempo que ela perdura
Há nela amor e muita amargura.

É aos pés da cruz que me ajoelho!
É aos pés da cruz que me vejo ao espelho.
O reflexo da imagem por vezes me diz
Mantém a coragem para ser feliz.

Com os olhos na cruz, levanto o véu!
Com os olhos na cruz, exploro o teu céu.
Um raio de Luz mostrou-me o caminho
Quem vai por ali nunca vai sozinho.

(Mariavaicomasoutras)


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

#Eraenãoera

Num momento de arejo
Quando te julgas seguro
Sem o olhar de um patinho.
Acabas um prisioneiro
Das bocas que no escuro
Te observam e confundem
Com um simples pestanejo.
Vá-se lá saber porquê!
Resta fazer um manguito
Tal como fez o Bordalo.
E com sorriso maroto
Porque nunca me atrapalho
Deixo que cantem de galo
E mando-os pró trabalho!


(Mariavaicomasoutras)

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

#diadabondade

Hoje dia da bondade
Alguém me perguntou:
Tens que idade?
Mas que coisa
Se essa verdade tem dono
Desde o dia em que nasci!

Contudo, por ser bondoso
Respondi de modo airoso:
Os anos que agora tenho
Fazem parte de uma tela
Pintalgada de experiências
Que em verdade suportam
Num mundo de aparências
O que consegues ver nela!

Não gostas?
Diz-me a verdade!
Qual a importância da idade
Se ela o Homem não faz
E ele não é capaz
De definir com garantia
Quando finda a sua angústia.


(Mariavaicomasoutras)