quarta-feira, 7 de agosto de 2019

# parabénsSIRC

Cento e dezasseis anos
Numa história que é única
Mentes fechadas umas
Outras porventura mais despertas
Estruturaram  uma casa
Que hoje revisitamos.

Entre ciclos e contraciclos
Assim tens caminhado
Possamos nós acompanhar-te
Dando-te a vida que mereces.
Por agora, damos-te os parabéns
E que possamos contar contigo
Outros tantos, quantos tens!

(Aníbal Panza)
#amo-te

Por valer mais que a palavra
O sorriso que te dou😁
No meu coração estava
O amor que começou!

Se hoje com o olhar digo
Um "amo-te" em surdina
É porque estou contigo
Num amor que me fascina!❤️❤️❤️

(Aníbal Panza)
#desnuda

Desnuda
Assim te vejo
Na plenitude dos teus contornos
Luminosa
Arrebatadora
Regrada
Previsivelmente segura
Mas humanamente perigosa.

Seja no sentido que for
Ascendente ou descendente
Obrigas-me a controlar velocidades
A respeitar prioridades
E num piscar de olhos
Cometemos por vezes
Sem maldade
Algumas irregularidades!

Desnuda
Numa lentidão
Vagueio o olhar
Na beleza do teu ser
E esboço um sorriso
Por dizeres que são
Apenas os meus olhos
E a minha forma de te ver.

(Aníbal Panza)
#somdanoite

Sempre
Que no silêncio da noite
O meu nome
Sussurras
Dou asas à vida
E parto voando
Com um rumo certo
Para dentro de ti.

Quando
Nesse doce momento
Nossos corpos
Sedentos
Se deleitam no amor
Livres são os suspiros
Que damos
Tão soltos
Pois estamos felizes.

(Aníbal Panza)
(Para cantar com a música do "Havemos de ir a Viana")

#PERRE

Na nossa vida nós temos
Como timoneiro os sonhos
Por isso todos escolhemos
Ficar com quem mais amamos

Antes que o tempo me fuja
Ou me engane no aeroporto
A Perre havemos de ir
Á procura de um conforto.
Á procura de um conforto
A Perre havemos de ir
Antes que o tempo me fuja
A Perre havemos de ir.

Por subidas e descidas
Caminhos estreitos eu passo
Curando vamos as feridas
Num imenso e terno abraço.

Antes que o tempo me fuja
Ou me engane no aeroporto
A Perre havemos de ir
Á procura de um conforto.
Á procura de um conforto
A Perre havemos de ir
Antes que o tempo me fuja
A Perre havemos de ir.

Por destinos conhecidos
Partiremos de mão dada
Jamais seremos esquecidos
Naquela terra encantada

Antes que o tempo me fuja
Ou me engane no aeroporto
A Perre havemos de ir
Á procura de um conforto.
Á procura de um conforto
A Perre havemos de ir
Antes que o tempo me fuja
A Perre havemos de ir.

Paris e Londres perdoem
As nossas comparações
Mas em Perre é que florescem
Encantos nos corações!

(Aníbal Panza)
"Sua felicidade está no bem que você fará, na alegria que você espalhará, no sorriso que você florescerá, nas lágrimas que você secou."(Raul Follerau)

#leprosos

Faz-se de ciclos a vida
Com princípio
Meio e fim
Embora alguns não aceitem
Surge um dia o precipício
Inevitavelmente é assim

Contudo ao nosso redor
Há Leprosos por vocação
Intrometidos, frios e putrescíveis
Que nas suas vidas são
Temívelmente insensíveis
Aos quais não dou minha mão

Prefiro junto de mim
Aqueles que sempre esperam
O bem, a alegria e o sorriso
Ainda que dos seus rostos
Vá limpando algumas lágrimas
Das mágoas e do desgosto!

(Aníbal Panza)


#crechePAPIM

Numa festa que é vossa
Deixo aqui ficar
Duas palavras conexas
"Parabéns" e "Obrigado"
Que fazem sentido
E trarão no tempo
Um significado!

Num mundo de nomes
Podia citar
Sem qualquer complexo
"Alice" ou "Tomás"
Porque nesta vida
Tudo o que acontece
Jamais volta atrás!

Se na vida o Homem
Colhe o que semeia
Sempre me ajoelho
Se me rodeais
Num sonho tão belo
Como sei que sonham
Os que sonham ser pais!

(Aníbal Panza)
Inspiração depois de uma tarde entre amigos nas "barraquinhas"

#sentir

Quando no ar pairam certezas
Fica a vida mais livre
O sol nasce
A noite esvai-se
Flui o ar por todo o lado
Transportando o teu perfume.

São aromas de flores
Das rosas multicolores
Cuidadosamente tratadas
Por tuas mãos sempre ternas
Macias
Prendadas
Com que bordas a amizade.

Quero-te sempre a meu lado
Sai das amarras
Que a todo o instante te prendem
Vem para a rua
Sê tão livre
Quanto livre é o vento que me enlaça
A cada instante que passa

(Aníbal Panza)
#coisasdomomento

Os nossos dias
Transportam em si
A todo o momento
Um mar de alegrias.
De nada adianta
Que abram as bocas
Sujas e imundas
As cabeças ocas!

Deixem-se de estigmas
E de mil preconceitos
Amigos serão
Aqueles que juntos
Constroem a vida
Vivendo o momento
E num brinde se abraçam
No maior sentimento!

Termino escrevendo
Que a malvada inveja
De quem nada arrisca
Tem a mesma energia
De um amorfo apagado
Que nem chama dá
No mais quente dos dias
Por já estar queimado!

(Aníbal Panza)

segunda-feira, 22 de julho de 2019

#viagem

Numa palete de cores
Pintalguei a minha vida
Escolhi os meus amores
De forma descontraída.

Entre dragões desolados
Lagartos adormecidos
Vianenses desamparados
Cresci e apurei os sentidos.

Se águias há por todo o lado
Mesmo sem ser a voar
Avanço acompanhado
Vou viajar com meu par!

Porque Paris fica longe
E Londres fora de mão
Na forte côr que me (a)tinge
Fico em Perre, pois então!

(Aníbal Panza)
#urbe

Corre-se tanto
Procurando respostas
Num mar de incertezas
E sinto que há um medo
Legítimo em ti
Por ser o nosso segredo!

Altura!
Distância!
Velocidade
Na verdade que importa
Em tudo isso...
Se tudo mais nos conforta!

Da paisagem
Em toda e qualquer imagem
Aproveito a tua côr
Na frescura de um sorriso nesta urbe
Em que a doçura do olhar
É o sabor do nosso amor!

(Aníbal Panza)
Com muita amizade e um carinho especial 👩‍❤️‍💋‍👩 para a Márcia Alves e para a Lara Barradas Fonseca 😘😘😘
#amizade

Sábado à tarde
Sopra o vento
De um quadrante qualquer
Tal e qual a amizade
Venha de onde vier!

L_isonjeado assim fico
A_tingido pelo gesto
R_indo, sorrindo e falando
A_o sabor da poesia.

M_inhas amigas sinceras
Á_lbuns de emoções
R_ejubilo quando estais
C_omigo seja onde for
I_luminando o coração
A_nunciando primaveras!

Num abraço que se deseja
Para além de um encontro
Entre os Barradas Fonseca
E os amigos Panza e Alves
Que a vida sempre assim seja!

(Aníbal Panza)
#escolhas

Num abrir e fechar de olhos
Quase a fugir à polícia
Fez-se a viagem com escolhos
Por alguém que os provocou
Sem uma ponta de malícia!

Com um guia conhecido
Fomos escapando à bicha
Sempre no correto sentido
Ficando em mim a incerteza
Onde levar a lagartixa?

Num espaço de coisa pouca
Por esperar estavam farto
E escolheram para a boca
A beldade da garoupa
Na tasquinha do lagarto!

E agora lagartixa!
O que dizes da dieta?
Escolhes apenas alface
Ou numa fúria danada
Degustas este poeta?

(Aníbal Panza)
Diz a APP FACEBOOK que quando tiver cem anos estou assim, até lá, vou rezando e vivendo.
#finaldamissa

Enquanto repousada estavas
No teu aromatizado leito
Orações eram invocadas
Numa prece algo sedenta
Do teu rosto no meu peito.

Dura é sempre a invasão
Daquela forte melancolia
Que nos toca o coração
Pela tua amargurada ausência
Que constantemente me entedia.

Porém, a espera tem um fim
No viajante que é o tempo
Em breve vens até mim
E num abraço interminável
Direi adeus ao meu lamento.

(Aníbal Panza)
#adordoamor

Não mates o amor
Muito menos o teu
Ainda que a dor
Seja forte lá dentro
Para aquele alguém
Que um dia o perdeu.
Pois só quem errou
Ao longo do tempo
A lição aprendeu!

Deixa que o amor
Assim aprendido
Cresça puro e livre .
E se a dor espicaçar
Ou à porta bater
Não mates o amor
Muito menos o teu!
É que o novo AMOR
Também é o meu!

(Aníbal Panza)
#obrigado

Um ano depois!
Continua esta saga
De um modo que contagia!
Porque a beleza da alma
Está na luz que não se apaga
E no carinho e ternura
Da nossa prosa e poesia!

Obrigado Lara e Márcia❤️😘😘😘
#15dejulho

Melancólico começo o dia
Na sombra de algumas dúvidas
Mas é  em ti que deposito
Num arreliador compasso de espera
Todas as garantias.

Teimosamente
Apenas porque sozinha não te deixo
Faço um compasso de espera
E tu entendes serenamente
Que do amor eu não me queixo.

Reconhecido vou sendo
Na passagem de uns seres
E a taquicardia devido a um cheiro horrendo
Diz-te que ao teu lado há uma química
Que entre nós se sustenta em caracteres.

Eis que um agradável suspiro
Trás com ele um grande alívio
E assim num olhar comprometido
Regressamos de imediato ao presente
Que conhecemos de fio a pavio.

(Aníbal Panza)
#Partircontigo

Partir contigo!
Tão ansioso que estava
Que nem o tempo passava
E cada quilómetro de estrada
Era uma espécie de castigo.
Partir contigo
Nesse desejo incontido
De te ver e de tocar
Um milímetro que seja
Da tua pele sedosa
Mais fresca que a frescura da alvorada.
Partir contigo
Num sono onde o sonho
Vais mais longe que o horizonte
De uma longínqua viagem
Onde és a beleza da imagem
Partir contigo
Porque és o meu porto de abrigo
E mais não digo
Já que isso nos pertence
E o que aí acontece
É um segredo escondido em cada dedo
Tantos quantos quatro mãos
Se entrecruzam num suspiro
Onde então... é tão bom:
Partir contigo!

(Aníbal Panza)
#mel

Encontrei-me á noite contigo
Naquele paradisíaco local
Estavas num louco frenesim
Temi que não fosses meu amigo
Mas vi que és um doce animal.

Mel, assim te chamas
Filha de uma mãe princesa
Que te trata com carinho
E com palavras belíssimas
Sem se importar com a despesa.

Que a Princesinha me desculpe
Mas apaixonado fiquei
Por uma menina diferente
Que naquele corpo se esculpe
Oh Mel! Adota-me como teu rei!

(Aníbal Panza)

sábado, 13 de julho de 2019

#parati

O tempo passa
Para mim e para todos
Embora por vezes pareça
Que só o faz para alguns.

No seu passar
Tudo acontece
Numa verdade incomum
Que só a sente quem vive.

Daqui derivam encontros
Tão improváveis
Como o é o Amor
Gerado na maior dor!

E sem ter terminado
A tormenta nublada
É tão bom vêr-te assim
Liberta, Linda e Feliz.

(Aníbal Panza)
#inveja ( ou Bejosas)

Indignado assim fico
Nada temo no entanto
Vozes de burro só zurram
Estragando a paisagem.
Já agora! O que te move?
Agastar quem se entende?

Ignorância é o que abunda
No teu círculo pessoal!
Vai mas é dar uma volta
Entedia quem quiseres
Já que para mim és a nódoa
Abominável e imunda!

(Aníbal Panza)
#desconfiança

Manhã cedo
Anda o sol envergonhado
E eu já estou acordado!

Saio da cama em dois tempos
Bora lá para o bulício
Pois o que vejo a meu lado
É tudo muito apressado.

Já no sítio
Tenho alguém á minha espera
Com um número esquisito
E com uma cara de fera.
É a normal desconfiança
De quem faz a segurança.

Guarda a espada companheiro
Comigo apenas vem
A esperada bonança!

(Aníbal Panza)
#momentos

Marginalizei o tempo
Olhando para as estrelas
Mergulhei o pensamento
Empurrando-o no universo.
Nasceu então algo em mim
Tecendo fui ao acaso
Os momentos que colhia
Sem eles estava sem ti.

(Aníbal Panza)
#aparências

Alguns sinais
Que se refletem no espelho
Com função retrovisora
E por momentos
A estrada fica demasiado curta.

É no abrir dos olhos
Que tudo se modifica
No universo da nossa consciência
Deixando para trás
Aparências sem fim.

O que certo parecia
Na cega moralidade
Deixa incrédulo quem o agora vê.
Enfim, tudo é possível
A vida é o que é ... e como é!

(Aníbal Panza)
#momentos

Nasce o dia
Com ele a fantasia
E uma dose de loucura
Numa história que perdura!

Meio dia
Um almoço entre amigas
Num local onde a magia
Se sobrepõe às intrigas!

Momentos
Mistura de sentimentos
Em que até os próprios cardos
São os nossos maiores encantos!

(Aníbal Panza)
#eleeela ou ocamarãoeasapateira

Seja tarde,seja cedo
Espere muito,espere pouco
Ele nunca se aborrece
E por mais que espreite o medo
O amor é ainda mais louco!

Pois...
O abraço sempre apetece
Fugitiva e fugaz
Do nada ela aparece
E de repente tudo parece
Uma espécie de dança
Com voltas e voltinhas
Pois como já dizia o Gatinhas: "Quem corre por gosto,não cansa"

Não há nada que pague
Paciência dele
Atrevimento dela
Nem nada que os largue
Pois este amor
É a coisa mais bela!

(Tomásia)
#precisava

Precisava!
Ou preciso?
Que alguém me acalme
O juízo!

Precisava!
Ou preciso?
Fugir de uns tantos ou quantos
Preconceitos!

Numa vida de imperfeitos
Só quem ama
Tropeça em mil defeitos
Sem que tal seja preciso!

Tudo bem!
Um dia a vida acaba
O que se leva é nada
E nada ... não precisava!

(Aníbal Panza)
São servidos?

#umaespera

Como o respirar
Também o pensar em ti
É uma constante
Que faz o coração palpitar.

Mais rápido ou devagar
Nunca chega a parar
E numa invulgar apneia
Encontra um suspirar!

Ai esta ausência
Tão longa sendo tão curta
Que nem um simples até já
Me acalma ou conforta!

(Aníbal Panza)
#naqueledia

Naquele dia
Dia igual aos outros
Outros que ali andam
Andam à minha espera.
Espera que desespera
Desespera assim quem ama
Ama quem diz bom dia!

Bom dia!

Selado com um abraço
Naquele pequeno espaço
Oferecendo o seu beijo
Com todo o seu desejo
A quem lhe deixa mil marcas
Num rosto onde as súplicas
Estão sedentas de um amasso.

Bom dia!

Dali me vou
Vou reter o sentimento
Sentimento de alguém
Alguém que no sentir provoca
Provoca tal emoção
Emoção naquele dia
Dia em que o seu coração
Para sempre me cativou.

(Mariavaicomasoutras 10/06/2018)

terça-feira, 25 de junho de 2019

#insólito

Limonete e cidreira
Martelinhos e Alho porro
Vasos com manjericos
Cascatas e brincadeira...
Mas, atrás do que é que eu corro?

Não sei! A vida dá muitas voltas
Antes do cair ao chão!
Portanto imploro ao Santo:
Nunca me vires as costas
Oh Meu rico S. João!

Se batizado já eu sou
E quem tem capa sempre escapa
No reino da presunção
E das postas de pescada

É por isso que aqui estou
Recebendo uma bênção
No meio da tua capa
Debaixo da tua mão!

Perdoas-me?
Não precisas!
Não me revejo na alhada!

(Aníbal Panza)
#narotadolobo

Uiva lobo, uiva!
Vejo-te tão empolgado
A uivar para o infinito.
Numa postura de posse!

Uiva lobo, uiva!
Enquanto isso eu sorrio
A meu modo engalanado
A afastar-me de um pretérito
Sobejamente imperfeito!

Uiva lobo, uiva!
Ajunta a tua alcateia
Martiriza a tua presa
Sem qualquer dignidade.

Uiva lobo, uiva!
Com a barriga saciada
Pela tua cabra montesa.
Enquanto isso avanço
Em harmoniosa cumplicidade!

(Aníbal Panza)
#bomdia

Uma bela dormente
Num corpo carente
De tranquilidade
No que é o desejo
De felicidade.

Uma raiva incontida
Um choro de alívio
Um sono perdido
Que depois se acalma
Num abraço sentido.

No auge da noite
Entra em si o silêncio
Como fantasia.

Transparente levita
O espírito de um prenúncio
Que se completa num doce bom dia

(Aníbal Panza)
#AMOR(INO)

Agarro-me delicadamente a ti
Misturas-te sofregamente em mim!
Os sabores são inconfundíveis
Repletos de imensa intensidade.
Imagino-te rápidamente a derreter
No âmago da nossa intimidade!
Olhas-me! És o meu Amor(ino)!

(Aníbal Panza)
#moedinha

Oh meu rico Sto António
Sabes que em ti acredito
Como o Sto do amor
Que afasta sempre o demónio
Quando por ele palpito?

Com alguma paciência
Atirei-lhe uma moeda
Que ao cair num sítio incerto
Fez ofuscar a ciência
Em consequência da queda!

Não é que esteja á espera
De um namoro em breve
Ou casamento duradouro

Pois que até a jovem "Severa"
Muito nova, diz quem escreve,
Morreu solteira muito perto do tesouro!

(Aníbal Panza)
#pratosvazios

Com fome ninguém os come
Quando cheios metem osga
Não sei se é do serviço
Ou de algum cozinheiro pitosga.

Altamente elaborados
Disse-me uma cachopa
Nutricionista em cuidados
"Comem-se piores na tropa".

"OMG"onde é que estamos?
No berço ou num jardim?
Já deixei fraldas há q'anos
Para ouvir coisas assim!

(Mariavaicomasoutras-Maio2018)
#Adeus Sto António de Lisboa 2019#

No mais íntimo dos desejos
Na noite de Santo António
Selam-se as bocas com beijos
Prometem-se matrimónios.

(Aníbal Panza)

#sonhos

Os sonhos, ai os sonhos
Que movem montanhas
Que corroem entranhas
Em ciclos...

Sonha quem sonha
Na vida dos sonhadores
E as dores, ai as dores
No parto de alguns amores.

Do sonho muito espero
Não só chegar até ti
Mas depois ter-te em mim
Sem temor nem desespero!

Tenho em ti a vida minha
Tens em mim a vida tua
Deixo num mar de ventura
Uma história, ai que história!

E sem pudor desabafo :
"Tudo começou com um abraço, ai que abraço!"

Duvidam?
Façam aquilo que eu faço!

(Aníbal Panza)
#THE SKY WAS PINK

No bulício da calçada
Agarraste a minha mão
E com um sorriso no rosto
Tocaste o meu coração.

Fiquei de boca calada
Na noite de Santo António
Com o sabor de um beijo
De noiva no matrimónio.

Naquele ambiente onírico
A cada vez que nos beijamos
Enebriados no odor do manjerico
Mais apaixonados ficamos.

(Aníbal Panza)
#dia do Pessoa em pessoa!

Sabes Pessoa
Alberto, Álvaro, Ricardo ou Bernardo
Ou outro nome qualquer
Do sequencial abecedário.

Fazer anos num feriado
Que é o do Santo António
Pode não lembrar ao demónio
Mas a poesia é o pecado
De quem escreve um diário!

Estar contigo
Na envolvência do Chiado
Neste treze de Junho
Dia do teu aniversário
Foi um prazer extraordinário!

Roam-se de inveja
Admiradores implacáveis
Porque mesmo que troveje
Há coisas inolvidáveis.

(Aníbal Panza)
# bichos

Algo de estranho se passa comigo!
Sou eu que vos digo.
Portanto, não se admirem.
Sabes Miguel Torga
Os teus bichos estão em voga!

Uma praga é o que é...
De bichos humanizados
A bichos animalescos
Que acham que a vida é
Feita de tramas e novelos

Na irracionalidade dos seres
E de pseudo doutores
Prefiro os animados bichos
Que dispensam os favores
As cunhas e os contichos!

(Aníbal Panza)
#encontrocombichos

Até parece por acaso
Esse entrecruzado encontro
Como se a vida fosse feita de acasos
Quando se viaja da periferia para o epicentro.

Cada Eu diferencia o Nós
Que somos quando estamos juntos
Combinando as partes como dominós
Sempre feitos de mil sentimentos.

E de forma discreta
Alheamos todos os outros
Que ficarão com cara de um vulgar pateta
Sem nada entender sobre os ditos encontros.

Ah! Pois, não falei dos bichos!
Isso fica para depois!

(Aníbal Panza)
#fazesmesorrir

Confesso!
Falar sobre o que me fazes sentir
É fácil, por ser tão puro!

Podia escrever aqui
Porque me sinto seguro
Dos sentimentos profundos
Que me confortam a alma.

Sei que há muitos incrédulos
Nauseados com rancor.
Deixemos que se dissolvam
No fel da curiosidade.

Porque não quero mentir
Pois falo sempre verdade
Será que estarei louco quando digo
-Fazes-me sorrir sem motivo!

(Aníbal Panza)
#quecoisa

Porque será?
Que na roda da moda
De seres concretos
Até uns sapatos
Se metem nos óculos?

Será que haverá
Por aqueles lados
Passadeiras vermelhas
Ou percursos pedestres
Pouco explorados?

Sei lá
Se alguém saberá!
Mas que os há!
Ai não que não há!
Porque é certo que os há!

Tal e qual
Como as bruxas
De vassoura na mão
Que viajam no tempo
Carregando às costas
Um bafio nojento!

(Aníbal Panza)
#desabafos

Pese embora a inconstância e a inconsistência das palavras
Consegues deixar em mim
As mais doces e profundas marcas
Como a beleza de uma flor
Que se destaca num jardim...
Que mais dizer ou pensar
Se vai ser afinal no silêncio de uma ausência
Que vou finalmente sentir o teu respirar até o dia chegar...

(Aníbal Panza)
#oamoreoamar

Na realidade
É o Amor que não é um jogo.
Já o Amar é uma arte
Onde os soldados se empenham
Em conquistas, dádivas, partilhas.
Quando algum se considera vencedor.
É porque houve um vencido.
E isso quer-nos dizer
Que o Amor ficou ferido
Pelo angústia de um fraquejo
E pelo desamar de um convencido.

(Mariavaicomasoutras 02.04.2018)
#porquemesintotaotriste

Quando ao olhar nos teus olhos
Abri o livro da vida
Encontrei uma página rasgada
Que me deixou intrigado
Por saber que aquela ferida
Foi por alguém provocada.

Era tão triste o olhar
Que se cruzava no meu
Deixando que duas lágrimas
Deslizassem pelo rosto
Onde então transpareceu
O Porquê do teu desgosto!

É então que por ti choro
Pedindo com muito amor
Não dês passos que conduzam
A uma tristeza eterna
Que só te provocam dor
E que a mim me consterna.

(Aníbal Panza 05.08.2018)

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Tenham calma! Eu já vou atender-vos a todos!

#91*92*93*96*#

Bom dia!
Sim, sou eu!
Estou sim!
Agora não!
Ligue mais tarde!
É engano!
Mas eu pedi-lhe alguma coisa?
Desculpe, importa-se de repetir?
Obrigado, mas já vem tarde!
Outra vez?
Quando precisar eu ligo!
Com licença!

Ainda bem que me ligaste!
Sabes que estava a morrer de saudades tuas?
Não te esqueceste dos meus documentos?
Recordas o que me disseste ontem?
Não, não acredito!
Espera-lhe pela volta, que isto não fica assim!
Sim! Eu sei!
Deve pensar que somos todos parvos!
Não digas asneiras!
Depois falamos!

Chegou á caixa do correio de...
Após o sinal deixe a sua mensagem!
Deixa isso comigo, não te preocupes!
Desliga tu!
Amo-te! Amo-te tanto!
Até já!
Beijinho!

(Aníbal Panza)
#aindaomosquitoeoamor

Tudo poderia ser diferente
Dependesse a vida
De um qualquer outro
Doce ingrediente
Igualmente surpreendente!

Tome-se como exemplo
Um simples perna de pau
Que a conversa no templo
Tudo teria de bom
Acompanhada por umas pedras limão!

Quase tenho a certeza
Que o mosquito picaria
Sempre da mesma maneira!

E que o amor concerteza
Rapidamente se desenvolveria
Na dimensão de uma incrível coceira!

(Aníbal Panza)
#omosquitoeoamor

Há coisas na nossa vida
Que acontecem sabe-se lá
Do porquê em que se vê envolvida
Por vezes algo atrevida
Mas por acaso... não será!

Entre dois sabores distintos
Na arte de degustar
Um cheesecake sem lamentos
E a um moscatel com argumentos
Acabei por ir parar!

E eis que surge o pensar
Que o mosquito e o amor
São fáceis de comparar.

Ambos sofrem de cegueira
No encontro com destemor
E no modo, como acabam por picar!

(Aníbal Panza)
DEIXO HOJE E AGORA NESTE LOCAL
UM POEMA ORIGINAL!
SEI QUE APENAS SERÁ ENTENDIDO
POR QUEM TEM INTELIGÊNCIA EMOCIONAL!

#ocontratempo

Estava tudo conforme
Naquele momento enorme
O ambiente
O salão
A gata
O tempo
Mas também o contratempo.

Pela segunda vez
Em menos de um quarto de dia
Tudo ali acontecia
A presença
A vontade
O corpo
Mas também o contratempo.

As circunstâncias
Eram como eram
Ainda são como são.
Compreendo
Lamento
Desculpo
Mas também o contratempo.

Soa então o alarme
Quase pára a digestão
Onde está a chave
A chave
Maldita chave
Desaparecer
Daquele modo, sem charme!

Que contratempo!
Esconder-se no sofá
Enrolada!
Camuflada
Mas finalmente encontrada
Sua desavergonhada!

(Aníbal Panza)
#viagemnaminhaaldeia

Motivado
Assim me sinto
Para contigo ir
Ao universo infinito.

Libertos
De olhares
Maliciosos
Saímos unidos e vitoriosos.

Fortes
É o que somos
Concretizando
O intenso de um desejo.

Sorrimos
Resposta direta
Concreta
Abençoado o momento.

Importante
É seguir
Em frente
De um modo inteligente.

(Aníbal Panza)
31/Maio
#diadosirmãos

Muitas voltas dá a vida
Às vezes sem compaixão
Nunca a dareis por perdida
Se ela for sempre vivida
Com razão e coração.

Segredos haverá muitos
Num futuro que antevejo
Que estará nas nossas mãos.
Hoje, fica tão só o desejo
De um feliz dia dos irmãos!

(Aníbal Panza)
#amoresdeViana

Em momentos de lazer
Quando escrevo sobre ti
Minha princesa do Lima
Sinto o coração a arder
Num fogo que me domina.

Percorrendo com o olhar
Aquela encosta verdejante
Aos pés de Santa Luzia
Confesso que por te amar
Dou asas à fantasia.

Não omito a ninguém
Que por ti eu dou a vida
E o que ela me significa
Por isso o que gosta vem
E quem ama como eu fica.

Meu amor que longe estás
Nunca me deixes sózinho
Sem partilhar sentimentos
Que o tempo não volta atrás
Nem repete os bons momentos.

(Aníbal Panza)
#poesia

Ela era poesia
Ele também o era
Mesmo sem o saber.

Ela quando fluía
Ele...
Nela sentia
Tudo o que alguém escrevia
Mesmo sem saber ler!

Pois tudo aquilo que via
Dentro dele se mexia
Nas ondas de um prazer.

(Aníbal Panza)
#certoversuserrado

Tentei descobrir um dia
Qual seria o local certo
Para medir a distância
Entre o certo e o incerto.

Partindo do apelidado zero
Alinhei-me com dois pontos
Um à esquerda outro à direita
Para evitar mais confrontos.

Quando pensava que o certo
Era para um dos lados
Logo ali fui confrontado
Que os certos estão errados.

Mas será então que o erro
É o caminho mais certo
Para encontrar o oásis
Bem no meio do deserto?

Parece-me hoje que sim
Tentativa e erro nos espertos
É a medida anacrónica
Que os errados afinal serão os certos!

(Aníbal Panza)
#minhaflor

Meu amor
Pensa como pensares
Logo depois de acordar
Mas olha para o teu jardim
Vê as tuas rosas a abrir
Com um sol que agora nasce
Há coisas que não se explicam
Perfumes que não nos deixam .
Meu amor sente apenas
Que o tempo que tudo leva
É o mesmo que tudo trás
Cá por mim fico à espera
Dos momentos em que a rosa
De intimidade profunda
Te diga que este amor
É o rosto da primavera
E tu a mais bela flor!

(Aníbal Panza)
#paixão

Falar de ti neste momento
É abrir as portas à amargurada ternura
Que sempre guardei cá dentro
No antro do meu frágil coração
Onde se refugiou no auge da noite escura.

Com ela guardei-te a ti
Mulher menina, mulher bela
Tão bela quanto o renascer da aurora
Que me ilumina a cada uma das manhãs
Prenúncio de uma vida pura e singela.

Não quero sequer sentir que tu me foges
Pois que nos braços de alguém
Por força de um percurso te entregaste
Enquanto eu de uma forma humana
Nada mais fazia que cuidar os seres que sofrem.

Hoje, livre para voar assim me sinto
Até pousar delicado mas intensamente
Na envergadura trémula dos teus braços
Que num completo e demorado abraço
Me deixa maravilhado indubitavelmente.

Arrebatado por mil beijos que em cascata
Numa sofreguidão nunca pensada
As nossas bocas trocam docemente
Ficando ali coladas sem demora
Desejando que tudo perdure pela vida fora.

Fosse a realidade do nosso sentir
A verdade suprema de um porvir
Este amor de tão sofrido que há em nós
Nos trilhos penosos da razão e coração
Encontraria a livre expressão de uma paixão.

(Aníbal Panza)
#aqueleabraço

Por momentos pensei que já não era
O ser que um dia se perdera numa espera
Quando na ternura de uns braços
Me envolvi no mais quente dos abraços.

Se tudo o que por certo já vivi
Ao trazer-me pelos tempos até aqui
Com momentos incontáveis de prazer
Este foi o mais sublime de todo o meu viver.

Pela força interminável do abraço
Pelo conforto traduzido desse amasso
Pela energia transmitida do teu peito
Desfalecemos sem demora ou preconceito.

Talvez possa parecer um exagero
Como se de um sonho saísse o amor sincero
Renasci por ter de ti aquilo que me faltava
Naquele instante que o nosso corpo ansiava.

(Aníbal Panza)
#preocupações

Uma casa com bandeiras
A roupa com etiquetas
Uma garrafa sem rótulo
Um outdor publicitário

Uma pessoa com pulseira
E rótulos de toda a maneira.
Queixumes, degredos, anseios
Manias, espertezas, rotinas

Salas, corredores sem esquinas
Vaidades, ignorâncias mesquinhas
Cruzes canhoto é um sufoco
Que o confesso é muito pouco.

Estou louco de tanto enfado
Aqui, ali em tanto lado
Dizem não saber de nada
Enquanto palmilho a estrada

Pura só a luz de uma candeia
Que me vai iluminando
Na complexidade de um caos
Por entre os castelos de areia.

Fico assim preocupado
E igualmente atolado...
Comer gelado com a testa?
Que o coma a pessoa desonesta!

(Aníbal Panza)
#coisasdotempo

Há nuvens no horizonte
Prenúncios
Do tempo que fará
Bom ou mau
O que vier, virá!

Entre o denso e obscuro
O claro e ofuscado
Surgem pingos
De bonança
E de alguma esperança!

As tormentas sempre passam
Mas no rescaldo do caos
Há sementes
Que impolutas germinam
E as saídas iluminam!

(Aníbal Panza)
No dia do abraço ❣️

#correnodiadoabraço

Corre!
Abre teus braços
Vem até mim
E num intenso
E terno abraço
Suspira enfim!

Corre!
Deixa que o tempo
Fuja de nós
Porque afinal
É o sentimento
Que nos combina, quais dominós!

Corre!
Que para trás
Apenas fica
Quem te fez mal
E do que hoje faz
Em nada te dignifica!

Corre!
Corre meu amor
Não pares
Eu vou contigo
Nesse abraço
Que não desfaço!

(Aníbal Panza)
#futuro

Pensei um dia esperar
Que a espera fosse o amanhã
Mas descobri que só há
Amanhã se no já se ausentar

Nada pode ser com fugas
Nem cabeças alheadas
Tudo se faz às claras
Com ideias bem vincadas

E no mais curto dos dias
Sem alardes nem vaidades
Declara-se a paz!

E o futuro que tu querias
Não depende das idades
Mas do que agora se faz!


  • (Aníbal Panza)
#misofonia 

M_astigar poderia ser 
I_ludir os teus sentidos 
S_ei que te é difícil suportar 
O_s sons e ruídos que te rodeiam 
F_azendo dessa horrível Misofonia 
O_ndas de raiva no teu ser! 
N_ão lhes dês importância 
I_dealiza os bons momentos 
A_penas ouvindo em silêncio o som do nosso amor. 

(Aníbal Panza)

sexta-feira, 17 de maio de 2019

#acordar

Vejo que nasce o dia
Pela luz que até mim chega
Vão chilreando os pardais
No ritmo bem conhecido
A sua antiga melodia.

Ao largo vejo o deserto
Na perturbação mental
Onde os raios de luz
Se esfumam envergonhados
De um pensar tão incerto.

Mas a vida continua
Repleta de carinho
Quando me dás um abraço.

E quando saímos á rua
Nenhum se sente sózinho
Na frieza de um certo espaço!

(Aníbal Panza)
#voltas

Dão tantas voltas as notícias
Umas em primeira mão
A par com a sabuja da malícia
Replicando a vida dos outros
Apenas semeando confusão!

Com um passado lodoso
Em cima tudo lhes cai
Pois têm o modo invejoso
De criticar quem da vida
Deixe ir o que lá vai, lá vai!

Nessas voltas estonteantes
Nas notícias que sou eu
Quem conta acrescenta um ponto
Portanto, metam a viola ao saco
Da minha vida sei eu!

Mas que lhes interessa afinal
Aquilo que não é seu?

(Aníbal Panza)
#umdiadiferente

Nasce o sol
Com sua calma
Acorda-me pela nesga
De um estore mal fechado
Recordando que o dia
Tem loucuras e segredos
E aconchegos da alma.

Passam depressa as horas
Aglutinando os minutos
Que o tempo
Que a gente espera
É de longe mais volátil
Que a doçura do viver
De uma intensa quimera.

Com a maior das cautelas
Por não querer tropeçar
Reparas que sem janelas
Acabas observado
Por gente de todo o lado...ao passar
Como se fosses um gato
Deixas o rabo de fora.

Em companhia perfeita
Delicia-se o repasto
Dizem-se coisas banais
E outras ... das quais me afasto!
Até que ouço a madrugada
Sussurar-me ao ouvido:
Vês como os dias não são todos iguais!

(Aníbal Panza)
#desassossego

Cai a noite por vezes
Nos nossos corações
Fica com ela a dor
De um silêncio
Que atormenta
Que baralha
Que confunde
O âmago das emoções.

É tão pequeno o fio
Que desligado
Transforma
O que está aceso
Num túnel espiralado
Que asfixia
A alma
Num desconforto danado.

São instantes
De contornos arrepiantes
Sangrantes
Onde a espera na dor
Dilecera
Enquanto até nós chegam
Alguns sinais de amor
E palavras aconchegantes

(Aníbal Panza)
#sentimento

Enxergar com a alma
Tocar com o coração
São de todo ingredientes
Que estão na nossa mão.

Mas há quem afastado da vida
Sem procurar a razão
Veja menos que um cego
Nos meandros da paixão.

Da alma faz trapalhada
Do coração um farrapo
Esburacado e sem cor...

Numa mistura impensada
A mixórdia não vale nada
Morre de vez o amor!

(Aníbal Panza)
#aminhapraia

Em teus braços eu me prendo
Ainda que o tempo seja pouco
Ao teu encanto eu me rendo
Porque fico quase louco.

Sabes que és a minha praia
Com um sedoso areal
Nas dunas esperas que eu caia
Em teus sonhos afinal.

Nesses momentos tão belos
Deslizo as mãos pelos cabelos
Sem nunca voltar atrás.

Sinto que o mar tem ciúmes
Pela fúria dos queixumes...
Que importa, se inalo a paz!

(Mariavaicomasoutras- abril 2018)
#oteucheiro🐞

Aromas!
Tantos aromas
Que inalo perto de ti
Sinto-me num jardim
Com perfumes encantados
Que quase perco o juízo
Quando tu ficas em mim.

Aromas!
Intensos os teus aromas
Que a todo e qualquer momento
Á vida dão mais sentido
Mexendo por dentro comigo
Sendo que o maior dos sintomas
É teres o meu cheiro preferido!

(Aníbal Panza)

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Na imperfeição da natureza ressurgem sempre seres humanos perfeitos ❤️
Poema de uma filha Márcia Alves para uma mãe ❤️ Miléna Alves:

M_ãe!
I_magino quanto sofreste
L_utando contra o preconceito
É _que a vida não foi fácil
N_a escolha de caminhos
A_té chegares hoje aqui!

A_manhã mãe 
L_embrar-te-ás de mim
V_ertendo todos os teus carinhos
E_ntre aqueles que te adoram
S_im! Estarei aí até ao fim!

Por ti! 
Por mim!
Por nós!
Eternamente MÃE!

(Aníbal Panza)
❤️DIA DA MÃE ❤️
#diadamãe

Três letras
Uma palavra
Numa infinitude de Emoções
Amizades e namoros
Conjuntos ou separados
Gravidezes
Por vezes indesejadas
Abortos
Tantos, alguns forçados!

Nasce um filho
Nasce a mãe
Florescendo assim o dia
Que se diz DIA DA MÃE!

MÃE!
Eternamente serás
Na constância assim chamada
E se nas probabilidades
Fores um dia mãe errada
Não ligues
E diz a todos
Que foste MÃE
Ainda que o filho
Tivesse tido de ti
Educação desajustada!

(Aníbal Panza)
#vida

Trago no regaço a vida
Com cuidado redobrado
Sofrida no seu passado
Mas eufórica por desejar
Um futuro apaixonado.

A vida tal como é
Merece essa proteção
Até andar pelo seu pé
E sem tropeços na marcha
Que afetem o coração.

Tem dentro de si um rol
De sonhos e esperanças
Que andam de sol a sol
Num inocente abraço
Como o é o das crianças.

A vida é mesmo assim
Uma caixa de Pandora
Ora embeleza o jardim
No desabrochar das flores
Ora deixa cair as folhas
No outono quando chora.

(Aníbal Panza)
#surpresa 🐞🐞🐞

N_unca!
U_ma joaninha
N_ervosa
C_onseguiria
A_brir asas e voar!

P_oderia
A_té por vezes
R_epensar a vida e ficar
A_ssumindo riscos
S_ilenciosamente!

D_esejos
E_mbalam o teu ser
M_ostrando quem és
E_spécie de joaninha!

S_urpreendendo-me
U_ltrapassas todas as restantes ações
R_otineiras e diárias!
P_arabéns! Com tal atitude positiva
R_essurges assim por e para mim
E_squecendo um passado
E_ntorpecido pelo tempo.
N_unca páras de me surpreender
D_izendo á vida afinal
E_stou aqui! Estais a ver?
R_evigorada e com muita vontade de viver!

(Aníbal Panza)
#conversas

Hoje não me apetece dormir
Pesadelo ou incompreensão?
Soubesse agora eu o porvir
Talvez uma outra história escrevesse
Embalado pela vida
Que se distrai com o tempo!
Então, de que serviria o lamento
Quando no final ouvimos
De muitos um desencantamento?

(Aníbal Panza)
28 de Abril 2019😀😃No Dia Mundial do Sorriso 😁😃

"Se alguma vez não te derem o sorriso que esperavas receber, sê generosa e dá o teu! Ninguém tem tanta necessidade de um sorriso como aquele que não o sabe dar aos demais." (Dalai Lama)

Sim, sorrimos, hoje sorrimos!
Orientados pela luz partimos
Rumo a um futuro desejado!
Respiramos o ar de uma amizade
Indiferentes ao olhar dos outros.
Sim! Sorrindo fomos bem longe
O ontem foi silenciado!
Sim, sorrimos! Hoje sorrimos!

(Aníbal Panza)

sábado, 27 de abril de 2019

#aminhajanela

Há formas de ver
Umas quantas de estar
E modos de ser
De maravilhar!

Da minha janela
Posso respirar
Quanto a vida é bela
Para além do mar!

E tanto se vê
Até sem olhar
Não interessa o porquê
Se livre é o pensar!

Da frieza da pedra
Á frescura das ondas
A planta é metáfora
No amor que desvendas!

Digam o que digam
De uma dita donzela
Os ditos não estragam
A minha janela!

(Aníbal Panza)
(poema privado)

SEMI

Diz o dicionário
De modo não discricionário
Signficar quase,meio ou metade
O que para nós não é verdade!

Para nós é real,inteiro e completo
sem(T)i eu não vivo
sem(M)i(M) tu não vives
E o mundo sem nós é deserto!

Estado civil: SEMI
Sinto-me Excitado Mimado e Incrível
Não fosse eu de outro Níbel!

(Aníbal Panza)
#oteucoração

Embala o meu coração
Ao ritmo do seu bater
Reparo que a razão
É ver o teu a acender!

Há um forte clarão
Da chama que dele emana
Mais claro que a paixão
Que sente aquele que ama!

Não há mais escuridão
Na luz que assim me encanta
Sendo imensa a gratidão
Que a todo o tempo se implanta!

Assim, poderei dizer
Num sentir que aprisiona
É com intenso prazer
Que o teu coração me emociona.

(Aníbal Panza)
#quadrassoltas

Viajam os meus amores
Por entre as flores no monte
São tantas e com mil cores
Não há ninguém que as conte.

Uma beleza assim
Não encontro aqui por perto
Vinde flores até mim
Preencher o meu deserto.

Como custa a passar
O tempo que por vós espero
Só conseguirei descansar
No nosso abraço sincero.

Vinde, vinde mesmo devagar
Ao pôr do sol assistir
Aí podeis suspirar
Pelo amor que ireis sentir

(Aníbal Panza)
#páscoa

É o hoje o dia!
Dia de visitação
De confraternização
Onde a compaixão
Sem qualquer sombra de dúvida
Ultrapassa
A sombra do oportunismo
Que anda sempre
De mão dada
Com a triste ingratidão!

É hoje o dia!
Dia de poesia
De intensa interação
Onde se ressuscita
Á luz de uma doutrina
Que no interior proclama
A amizade e o perdão
Uma forma de estar na vida
Objetivada e com sentido
Onde o AMOR é a solução!

É hoje o dia!
Dia de Páscoa
E então?
Por tudo o que para mim são
Aqueles que de verdade
Me alegram o coração.
Deixo sinceros desejos
De saúde
Paz e alegria
E grandiosa amizade!

(Aníbal Panza)
#saberes

Sabes!
Sei que sabes!
Porque choramos os dois
Com raiva
Com desgosto
Mas muito mais importante
Com uma imensa vontade
De acabar com a maldade!

Sabes!
Sei que sabes!
Quanto valem
Os abraços demorados
Que com ternura são dados
Sempre cheios
De recados
Que tocam no coração!

Sabes!
Sei que sabes!
Que há beijos
Que deixam afogueados
Amantes apaixonados
Que iluminam a saída
Da chama que se aviva!

Sabes!
Sim eu sei que sabes
Porque sempre o soubeste
Que a doçura e o melaço
Sobre nós
Sempre se abate
Quando preciso de chocolate!

(Aníbal Panza)
#Silêncios

Uns calam
Outros falam
Uns apelam ao sossego
Outros ateiam o fogo!

Eu temo
Enquanto outros como eu
Igualmente temem
O que se parece com breu!

Mas tu
Que és infinitamente linda
No ciclo dos teus amigos
Silencias uma confusão infinda!

E eu falo
Por entre o amuo de alguns
Pois de modo admirável
Há em ti um silêncio agradável!

(Aníbal Panza)
#osegredo

Digo eu:
Aconteceu!
Aquilo que era esperado
Porque assim seria
Algum dia.

Dizes tu:
Aconteceu!
Como te disse naquele dia
Quando mudei
E chorei.

Dizemos nós:
Aconteceria!
Nada seria por acaso
Porque sempre se apaga a chama
Quando na verdade não se ama!

(Aníbal Panza)
#oteusorriso

O teu sorriso
Fresco e encantador
Embriaga os sentidos
Com o aroma do amor.

A todo o instante
Há um brilho no olhar
Tão contagiante
Que até é capaz de me arrepiar.

No contorno dos lábios
Que ascende no rosto
Tens segredos sábios
Sempre ofuscando um qualquer desgosto.

Numa imensa brisa
Serenamente envolvo todo o meu juízo
É assim que deliciado me sinto
Quando esboças o teu lindo sorriso.

(Aníbal Panza)
#escuta-meemsilêncio

Emocionada assim te vi.
Triste e abatida.
Comovida
Com a pureza da lágrima retida.

Pedes-me silêncio!

Eu calo!
Por instantes!
Depois falo!
Num tom calmo e um tanto embargado!

Pedes-me silêncio!

Compreendo!
Sinto o que sentes
Perguntando "porquê eu?"
Quando somos impotentes!

Escuta-me tu em silêncio!

Num abraço!
Tudo digo!
Numa total empatia
Fico, temo e choro
Não estás só! Estou contigo!

(Aníbal Panza)
#conforto

Sentado
Deitado
Encostado
De frente ou de lado
Repouso seguro
Quando sempre te tenho
Como companhia!

E fico calado
Sentindo-te ali
Macia
Tão terna
Cheirosa
No maior conforto
Colada em mim.

Tocam-se os dedos
Nada mais se diz
Um olhar
Um sorriso
Um beijo com carinho
Suspiramos os dois
Sinto-me como tu: imensamente feliz!

(Aníbal Panza)
#desejos

Reclinada em meu peito
Por momentos descansas
De tantas andanças
De um viver imperfeito.

Com os olhos cerrados
Respirando suspiras
E num sonho aspiras
Momentos encantados

Sabes bem que os desejos
Enquanto vontades
Serão sempre possíveis

Mas concretizá-los
Em verdade depende
De uma vontade irrepreensível!

(Aníbal Panza)

domingo, 7 de abril de 2019

#Vidalivre

Depois de um tempo
Complexamente nebuloso
Conturbado e temeroso
Vejo renascer a claridade
Onde cada raio de sol
É um reflexo de maturidade.

Revejo então a transição
De um passado sonhado
E de um presente onde o sonho
Traz um futuro de sonhos
Por poucos imaginado
Pois vivem sem coração.

Sente-se agora a razão
De quem ama com sentido.
Que cada ser pense livre
Persiga o que o faz feliz
Já que a vida só a vive
Quem faz dela uma matriz.

(Aníbal Panza)

sexta-feira, 5 de abril de 2019

#astuasmaõs

As tuas mãos
Tão aveludadas
Carinhosas
Formosas
Percorrem teu corpo
Nas rotas da seda.

Quando em mim tocam
Exultam-se os sentidos
Numa benção divina
Onde o paraíso
É um céu sem limites
Com sabores conhecidos!

Sem qualquer segredo
Sente-se um toque
Enquanto se entrecruzam
As mãos dedo a dedo
Num longo acostar.

Pois as tuas mãos
São onde as minhas
Querem estar.

(Aníbal Panza)
"oh amor"

Oh amor
Oh amor!
O teu amar
É uma noite de luar
Em noite de lua cheia
É uma onda do mar
Que me banha volta e meia.

Oh AMOR
Amo-te
Como me amas
Mimo-te como me mimas
Nossos corpos estão em chamas
Sempre que de mim te aproximas.

(Aníbal Panza)
#sinais

Muito poderia dizer
O tempo
Se pudesse!
Mas sofre calado
Como se nada soubesse!

Mas sabe!
Tudo se passa à sua volta
De verdade!
Não há suposições
Na realidade!

E estremece!
Com o que acontece
E vai continuar!
São sinais
De que a vida está a mudar!

(Aníbal Panza)
#conforto

No tempo escasso
Um peito com costas
Dois corpos suados
Sentados deitados
Ternamente abraçados
E nunca duvidam
Que estão enamorados!

Uma série de beijos
Dados com carinho
Quatro mãos enlaçadas
Num aperto suave
À textura dos peitos
Que são afagados
Sempre de mansinho!

Mantêm os sonhos
Na doçura do seu querer
Inalando os aromas
Do prazer carnal
E vivem assim
Agradáveis momentos
Com sabor.especial.

(Aníbal Panza)
#TMP35

Tem dias que são diferentes
Iluminando os anos
Alguns são uma maçada
Gelados e algo cinzentos
Outros são uns bons eventos.

Podessemos escolher
A nossa vontade à carta
Novidades haveria
Zombariamos dos maus
Abraçando os bons momentos!

Parabéns 🎉🎉🎉
Feliz aniversário 🎂🎂🎂🎂🎂
Aníbal Panza
#despertar

Que o teu despertar seja tão suave e doce
Quanto este meu beijo
Que nos teus lábios
Acabo de depositar.

Ao abrires teus olhos
Agora pela manhã
Encontrarás ali os meus
À espera de um sinal de Amor
Que não faça dele uma palavra vã.

Terás aí no teu sentir
A minha palavra
Que nesta imensa claridade
Te fará sorrir!

Na meiguice dos teus olhos
Na doçura dos teus lábios
Na tua pele sedosa e reluzente
Desse teu corpo emergente!

Sentirás todas as minhas palavras
Que acabo de escrever agora.
Pega nelas e lê-as bem alto sem demora.
Um dia verás que permaneceram pela vida fora.

Se então verificares que eu
Já não me encontro aí
Constatarás que sempre gostei de ti
Transportando a toda a hora
Para ti, este Amor que é verdadeiro.

Com muito mas muito carinho
Aníbal Panza
#diasinesquecíveis

Acordar
Respirar e agradecer
Sentir que ali começa o dia!

Um contacto
Mil desejos
E um bom dia de alegria!

Caminhar
Saudar
Num beijo sem fantasia!

Chegar
Cumprimentar
Trabalhar com ousadia!

Anoitecer
Regressar
Amar de um jeito que nunca eu sonharia!

Irrepetíveis
Sempre diferentes
Os nossos dias inesquecíveis.!

(Aníbal Panza)
#planos

Fazemos tantos planos
Imaginando o futuro
São tantos os desenganos
E muitos tiros no escuro.

Pois claro, a vida rola
Houve alguém que me disse
Só que a cena desenrola
Em bastidores com parvoíce.

Dou por mim a questionar-te
Em momentos de lazer
Se a vida tem um alarme
Ou bastará sobreviver?

E de plano em plano
Antes de ficarmos defuntos
Os meus planos preferidos
São os que fazemos juntos.

(Aníbal Panza)
DIA MUNDIAL DA POESIA-THE DAY AFTER
Porque todos os dias são poesia.

#olhosquefalam

Os teus olhos não mentem!
Foi uma lição que aprendi
Sem ler livros
Sem oratória
Sem erros de palmatória
Bastou-me olhar para ti!

Os teus olhos não mentem!
Foi o que senti
No momento
Sem lamento
Que intenso sentimento
Bastou-me olhar para ti!

Os teus olhos não mentem!
Disseste-mo com duas lágrimas
Temperadas
De revolta
E um sorriso de amor
Bastou-me olhar para ti!

Sim!
Os teus olhos não mentem!
Bastou-me olhar para ti!

(Aníbal Panza)
#primavera

Perguntem às flores com paixão
Razões da sua doce coloração
Inúmeras vezes tão invejável.
Manifestamente preciosos são
Amores perfeitos bem cuidados.
Vejam à vossa volta com atenção
Enamorados estão todos aqueles
Reagindo ao contratempo e enternecidamente
Abrem as pétalas a uma nova primavera!


  • (Aníbal Panza)

terça-feira, 19 de março de 2019

#imagem

Estava calma a manhã
Naquela Praça da República
Brilhava o sol no granito
Quase despido de gentes
Numa ausência de folia
Deixando em mim mil saudades
Do tropel sem preconceitos
Das festas da Sra D'Agonia.

No meu olhar escorreito
Ao explorar o ambiente
Vislumbro num frondoso canteiro
Uma imagem que é única
Numa paleta de cores.
Logo nele me debruço
E sofregamente inalo
Os aromas exalados
Pelas formosas flores.

(Aníbal Panza)
#marés

Esse teu fascínio
Que sempre me encanta
Chama-me até ti
A todo o instante.
Na dureza das rochas
Numa espécie de raiva
Que tudo devora
Há um forte abraço
E um banho de espuma
Que fica a pairar...
De seguida rebentas
Na areia sedosa
E vais deslizando
Numa espécie de beijo
Humido e aconchegante
Num intenso instante.
Ah, mar! Fosse tudo assim
Um ir e voltar...
Onde o princípio nunca tem um fim!

(Mariavaicomasoutras)
#portoseguro

Preocupações e confusão
Incógnitas com ilusões
Tropeços na escuridão
Nuvens negras a pairar
Ondas revoltosas
Em marés de esperança
Sempre repletas de rumos
Até uma desconhecida estação!

Hesitar é desistir
Desfaço o nó de um qualquer laço
Sem medo de dar um passo
O que vier há-de vir
Ainda que o percurso seja duro
Porque atingirei o paraíso
Onde o teu abraço
É o meu porto seguro.

(Aníbal Panza)
#segredos

As palavras têm medida
Na dimensão do silêncio!
No seu percurso de vida
Trazem e levam com elas
Quantas vezes omissões
Pelos conteúdos proibidos
Passíveis de confusões!

Há quem prefira ficar mudo
Por não superar os medos
Há quem diga coisas á toa
Provocando alguns enredos
Que nunca são coisa boa!
Chamem a isso segredos
Ou outra coisa qualquer!

Por isso, fica agora a saber
Que todo o ser se afeiçoa
A quem nada tem a esconder
Mesmo um assunto  bicudo
Que tenhas por resolver.
Já que és a primeira pessoa
A quem quero sempre contar tudo!

(Aníbal Panza)

sexta-feira, 15 de março de 2019

#viajando entre um carioca de limão ❤️ e uma glória ❤️

Há na tua boca a doçura
Das palavras proferidas
Com a saliva que perdura
Dos beijos que permutamos

Correm nos meus ouvidos
Prazeres que foram vividos
Trazendo consigo o eco
Do intenso amor sentido.

São como pétalas de rosa
A esvoaçar lentamente
Deixando um doce aroma
Na envolvência ambiente.

Nos meus olhos entretanto
Fica a imagem dos teus
Refletindo todo o encanto
Do que ali aconteceu.

Embalados pela ternura
Por nós trocada assim
Adormecemos os dois
Num abraço sem ter fim.

(Aníbal Panza)
#certezas

Incautos no pensamento
Alguns Humanos que conheço!
Por se acharem senhores e donos
Das certezas mais incertas
Ficam com a maior certeza
Que na vida o tropeço
E a mudança de rumo
Na medicina e no Amor
É a incerteza que é certa!

Para onde vou
Onde fico, ou com quem estou
É sempre o que tem que ser
Fácilmente retratado
Num "e tudo o vento levou"
E nem sempre o que se quer escolher
Na medicina e no amor
É o que há-de acontecer
Até ao dia de morrer!

Dá tantas voltas a vida
Com oásis no deserto
Como a pergunta permitida:
-Certezas?
Na medicina e no amor
Claro que eu as tenho
Quando se ama quem nos ama
E transporto esse amor até a um fim
Quando no dizer me empenho:
- Fazes-me acreditar mim!

(Aníbal Panza)
#tempo

Tempo!
Por quem me tomas?
Talvez penses
Que possa ser como tu!
Um perfeito bipolar.

Equivocado!
Isso sim é como estás.
Por mais que o queiras
Mesmo com boas maneiras
Nunca voltarás atrás!
Vais sempre em frente
Eu sei e sinto isso
Levas contigo toda a gente
Fora de um qualquer compromisso
Por vezes tão de repente!
Traiçoeiro!

Porém, a todo o tempo
Vaidoso!
Pois todos falam de ti
"Não tenho tempo" ou "não há tempo"
"Sobra o tempo"
"Contra o tempo" no maior dos contratempos
Tantas vezes nos pareces
Que que te temos
Como se fosses o dono de todo o mundo
Tempo imundo!

A maior parte do tempo
É passada a passar-te!
Podes ser uma grande perda de tempo
Mas nada se faz sem ti
Por isso fica comigo a esperança
De que de que contigo e com ela 
Talvez tudo de bom se alcance
Não fôsseis vós
Os pratos de uma balança
Onde eu sou o fiel dela!

(Aníbal Panza)
#quemeimporta?

Todos dissemos alguma vez
Que a vida não é fácil!
Palpites?
Certezas?
Sei lá! Que me importa o que se diz?

Sim! Porque todos sabemos
Que a vida são dois dias!
Suposições?
Confrontações?
Sei lá! Que me importa o que se sabe?

Ai vida! Dita e sabida
Ainda que boba sejas!
Que situação
Sonhar;
Dar asas ao coração!

Sei lá! Que importa se a vida foge das mãos!

(Aníbal Panza)
#( )

Tudo parece normal
Quando olhamos sem olhar
Mas quando queremos ver
Tudo o que se está a passar
Ainda que dentro de nós
Corta-se o respirar
Por ver o que não se quer
E queríamos acabar!

Não sendo eu um exemplo
Na arte de bem enxergar
Acabo assaz recalcado
Pelo que peço desculpa
Por andar meio dormente
E ver que tudo o que ao lado se passa
Nunca o é por acaso
Em quem ao sentir vive o que sente!

(Aníbal Panza,)
#inocencia

São tão inocentes os seres
Julgando-se tão possessivos
Que entre os deve e os haver
Deixam saldos negativos.

Cruel contabilidade essa
Para quem lhes cai na mão
Pois é com toda a pressa
Que são vítimas de traição!

Nessa relação impura
Há exceções tão amorosas
Onde a posse, é uma partilha sã

Por isso possui-me na tua imensa ternura
Encosta-me á parede de uma forma vigorosa
Beija-me como se não existisse amanhã!

(Aníbal Panza)
#??????

Porquê tanta interrogação
Se as respostas que são dadas
Podem ser interpretadas
Por tudo o que é sentido
Dentro de um coração.

Os porquês não têm sentido
Nem tão pouco explicação
Fica o corpo perdido
Num rumo indefinido
Entre o sentir e a razão.

Não me perguntes mais nada
Que a nada responderei
Amar sabe-o sempre quem ama
E no calor dessa chama
Só Deus sabe o que eu sei.

Se mil receios podes ter
De tudo aquilo que sentes
Naquilo que eu digo e escrevo
É para que o corpo perceba
Tudo o que quero dizer

(Aníbal Panza)
NÃO ME FALEM EM DIAS DE E DE E DE...

#AdãoeEvanaoestaonoparaíso?

Porque a história se repete
Sendo a mesma algo mítica.
Por linhas tortas se escreve
Uma repleta de mística.

Segredos que vão e vem
Incomparáveis, surreais
Uns que nos fazem bem
Outros que nos deixam aos "ais".

Que sina a de Adão e Eva
Na escolha da maçã
Quando até no verão já neva
Esfriando o melhor que há!

Deixa-se que no outono a serpente
Transforme num inferno o paraíso
E decididamente então hiberne
O tempo que o tempo ache preciso.

Uma questão de tempos
De decisões e de esperas
Onde os famigerados contratempos
Nascem entre as frágeis quimeras.

Logo, se quem espera desespera
Nesse conturbado movimento
Deixo que a formatada da serpente
Me leve com ela para sempre.
(Aníbal Panza)
GRATIDÃO é a palavra que me define hoje.
Agradeço a cada um de vocês a presença no dia do meu aniversário, da forma mais diversificada. Assim se fazem dias diferentes e vocês fizeram com que ele fosse efetivamente diferente. Muito Obrigado.
#luz

Tão longe e tão perto
Porque o sinto
Não te minto!

O teu brilho
Garanto
Que sempre me seduziu!

Mas a luz
Tão intensa
Quase cega quem a viu!

E eu, aqui
Transformei-me
Quando dela me apercebi!

Luz!
Luz da vida!
Luz que do amor recebi!

O caminho
Aberto está
E assim permanecerá!

Para ti
Para mim
Até onde a luz nos guiará!

(Aníbal Panza )
#AUTO POEMA

#agoraéaminhavez

A_ncorado que estou no pensamento
N_egligenciar o presente dia
I_ndicaria a todos os meus amigos
B_analização do passado e do presente
A_té quem sabe de um aqui e agora
L_acrimejado de amarguras.

N_ada melhor do que abrir novos horizontes
O_lhar em frente sem receio de arriscar
G_arantindo da melhor forma o ser-se feliz
U_tilizando estratégias que enfim sustentem
E_quilibradamente as relações humanas
I_nclinando-me grata, livre e humildemente.
R_umando sempre na incerteza do futuro
A_li e acolá com inevitáveis derrapagens.

F_alarei de mim enquanto me for permitido
E_logiando as pessoas que o merecem
R_eagindo crítica, coerente e firmemente
N_os momentos em que alguns seres
A_leivosamente permaneçam bisbilhoteiros.
N_aturalmente uns preconceituosos
D_esconhecedores do que são sentimentos
E_spelhando as suas imensas frustrações
S_em nunca saberem o que é amar e o amor!

P_orém, não se compadece do tempo a vida
A_fanosamente permutada por momentos
N_ovidades trazendo em muitos deles
Z_iguezagues fazendo em cada aniversário!
A_gora é a minha vez, na vida não há isentos!

(Aníbal Panza)
#Aníbalsário0603

Gosto de ser quem sou
Ainda que outros não queiram
Nem sempre estou como sou
Há coisas que se aligeiram!

Nisto do querer ou não querer
Tenho comigo um preceito
O que quero, desejo, vou e procuro
E o que não quero mas fico às vezes sujeito.

Porém, no caminho da vida
Quando próximo o dia do aniversário
De uma forma lenta ou rápida
Querer ou não querer é secundário.

Chegado hoje ao meu anibalsário
Não há quereres nem pensamentos levianos
E sem sebenta, manual ou formulário
Mantenho o meu coração cheio de planos.

(Aníbal Panza)
#vésperadeCarnaval

No silêncio da noite
A vida não pára
Há gentes na cama
Há gentes na estrada
E a minha vontade
Emergindo do nada
Fica bem exaltada!

Não há contratempos
O clima é perfeito
Esvaiu-se o frio
Ausentou-se o vento
De uma assentada
Sei que me levanto
Com a alma exultada!

Olho para o relógio
Ele dá-me um sinal
Com mil serpentinas
Colorido infernal
Volto a deitar-me por breves minutos
Pois hoje é a véspera
De mais um Carnaval!

(Anibal Panza)

segunda-feira, 4 de março de 2019

#surpresa

Quebram-se algemas
Do velho roteiro
Das nossas rotinas
Uma das surpresas!

Rebentam de novo
Todas as flores
Sem ser Primavera
Outra das surpresas!

Deixamos que os braços
Enlacem nossos corpos
Numa nova esperança
Ainda mais surpresas!

Desponta o sol
Numa onda de luz
Que desnuda a Lua
Auge das surpresas!

De surpresa em surpresa
Chegas até mim
Surpreendentemente
Mais apaixonada!

Surpresa? Não!
Apenas e só
Uma história encantada!

(Aníbal Panza)
Porque estamos no Carnaval!
Carnaval diferente dos "carnavais" de todos os dias.
#Carnaval

Carnaval! Viva o Carnaval!

Fantasio os meus sonhos (sempre acordado). Desfilando na rua indiferente ao tempo (que é um tempo real).
Sou absorvido por olhares atentos (o que mais há são mirones). Explorado por fora e minado por dentro (tal e qual).
Carnaval! Viva o Carnaval!
Sem querer (é o querias!). Até fui bafejado, beijado e babado pela D. Crise (baah que nojo).
Vai de braço dado ( que tremenda farsa). Com o pobre marido D. Salários Baixos (um tesudo é o que ele é).
Que é mesmo um tarreco (coitado, é um miserável). Logo atrás dele, atraído pelo cheiro vai o seu amante o D. Desemprego (o macho sarnento da década)
Só se alimenta à custa de alguém no centro de Emprego (um verdadeiro mamífero).
Carnaval! Viva o Carnaval!
Fossem só três dias nem havia mal. Ter o cinto apertado e as calças na mão (só o sabe quem sente)
Como é verdadeira a contradição. Que até a geringonça (essa mesmo). Leva tudo a esmo ou será a eito? (é livre o conceito).
Para uns é excesso para outros defeito (que mau feitio)
Carnaval! Viva o Carnaval!
Ninguém leva a mal! (se por acaso levar...Para mim é igual)
Carnaval! Viva o Carnaval!
(Mariavaicomasoutras)
#palavras

Passei por ti a correr
Apenas nas palavras
Curtas, descomplicadas
Sentidas
Fáceis de entender!

Mas as palavras
Assumem-se controversas
Quando diretas
Longe de insinuações
Devoradas por percepções!

A cada um a sua
Mesmo que na palavra nua
Dita na hora justa
A provocar a maior dor
De uma forma injusta!

Fica a saber que te amo
Muito para além da lua com um fervor
Que em cada quarto se ajusta!
E digo: Amar não custa!
Custa é ver sofrer por amor!

(Aníbal Panza)
#amantes

Duas íris cor de mel
Cruzam, fixam, cintilam
Qual carrossel
Em que duas almas
Se amam,desejam,veneram

É como que uma faísca
Que no ventre palpita
Uma vontade que se arrisca
E que essas almas agita

Uma atracção fatal
Aproxima os corpos
Dessas almas sedentas
Um desejo carnal
Duas vontades atentas

Corpos colados
Dedos entrelaçados
Lábios molhados
Gemidos sussurados

Dançam corpos e almas
Até rebentar fogo de artifício
Como se batessem palmas
E mesmo assim do desejo
Permanece um resquício

Tão bom o momento
Que fica no pensamento
Tamanho é o sentimento
De novo sedento!

(Tomásia)
#oquedizemosmeusolhos

Olho para ti
Olhas para mim
Trocamos Olhares e interrogas-me!

Por agora
O que dizem os meus olhos?

Que abomino
Alguns profetas da praça
A invocar sempre a desgraça!

Por acaso
O que dizem os meus olhos?

Que dão asco
Algumas pessoas frustradas
Dos outros fazendo a vida devassa!

Afinal
O que dizem os meus olhos?

Quê há intriguistas
E uns ímpios moralistas
Que são pecadores a sério!

Agora sim!
O que dizem os meus olhos?

Calem--se!
Bocas imundas
Porque vivo a vida a sério!

(Aníbal Panza)
#LARABARRADAS

L_eva o tempo
A_tabalhoadamente
R_uídos de palavras
A_nsiosamente esperadas!

B_riosamente
A_lgumas pessoas escrevem
R_eagindo às emoções
R_asgando paradigmas literários.
A_ssim é a Lara Barradas
D_enunciando preconceitos
A_ssumindo a realidade de uma vida
S_em medo de errar nas palavras.

( Aníbal Panza)


#luz

Olhe para onde olhar
Vejo-te a ti
Mais do que o mar.
Até sem Lua
Há por todo o lado o luar.

Penso até
Que o brilho dos teus olhos
São estrelas a cintilar
Iluminando o caminho
Que percorro sem cessar
Enquanto sinto presente
O calor do teu carinho.

Em silêncio
Numa forçada ausência
Caminhas sempre a meu lado
Por seres a luz
Que me indica o caminho
Onde se vão encontrar
Nossos corpos
Para sempre enamorados.

(Aníbal Panza)

domingo, 24 de fevereiro de 2019

#Desafia-te

Por entre
Conceitos
Defeitos
Preconceitos
Vagueias tu, ser humano!

Nos conceitos
Impões-te
Qualificas-te
Concebendo
O que te "soa"perfeito!

Mas eis que surgem
Defeitos
Matreiros
Sorrateiros
Que te mostram outra imagem!

Contudo,
Piores são os preconceitos
Onde a ignorância
Driscrimina
Na anormal normalidade!

Como tal,
Desafia-te!
Desabrocha o coração
Sê feliz com gratidão
Quer outros queiram ou não!

(Aníbal Panza)
#medos

É tão certo que tenho medos!
Não deixo de pensar neles
Posso contá-los pelos dedos
Do mais complexo ao mais simples!

Há quem diga pouco importa
Ter medo de coisa alguma
Mas não faço letra morta
De um deles por ser um trauma!

E cito-o neste momento
Pois não é um álibi
É intenso este tormento
Ter medo de ficar sem si!

Pois quando se vive uma vida
Onde precisamos de alguém
Não nos resta qualquer dúvida
Difícil é vivê-la sem ninguém!

Suplico não me deixe
Neste dia algo triste
Pois tenho as ideias num feixe
Pelo modo como de mim te despediste!

(Aníbal Panza)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

#Fripouille#
#sorrituéslinda

Sorri!
Quando ao acordar
Sempre me dizes"bom dia"

Sorri!
Na frescura de um olhar
Quando te encontras comigo!

Sorri!
E com um estalar dos dedos
Perde logo os teus medos!

Sorri!
Ainda que esteja mau tempo
Não só fora mas bem dentro!

Sorri!
Porque tu és linda
E a vida gosta de ti!

(Aníbal Panza)
#desfalecer

Deixa que no teu corpo
Enorme porto de abrigo
Se percam os meus sentidos.
Felizes ali ficamos
Abraçados com ternura
Lembrando a quem nunca soube
Estar assim apaixonado
Como é bom desfalecer
Entregue nos braços de quem
Reconhece o que é o Amor!

(Aníbal Panza)
#conformado

Por momentos
Todos os meus sentidos
Regelaram
Quando perceberam
Que alguém disse
De uma forma categórica
"Sabes que estou conformado"

Dei comigo
Completamente empenhado
Numa tal reflexão
Dos porquês
De como seria possível
Tremenda aceitação
Com tanta conformação!

Pois saibam
Que afinal
Também estou conformado
Com o espírito de mudança
Nas relações litigantes
Já que no rumo da vida
Nada será como dantes!

E nesta onda
Me entrego
Se no amor é a mudança
Conformar-se faz sentido.
Pois que daí resulta
Não haver amor proibido!

(Aníbal Panza)
Porque hoje é o Dia Mundial do Gato, aqui fica para ti :

#diálogo

Deus quis assim:
Eu para ti,
Tu para mim!
Que mais se pode pedir!?
Que mais se pode sonhar!?
Que mais se pode querer!?
Senão um amor sem fim!
Sem trair, sem magoar, sem sofrer!
Só assim ❤

Amor!
Amor sem fim
Tu és para mim
O que eu sou para ti!
Traições não há nem haverá
E se te magoei
Quero que saibas
Que nunca isso imaginei.
Já o sofrer...
Meu amor ❤️
AMOR sofrido, dorido
Apenas por não poder
Sempre que quero estar contigo❤️

(Tomásia)
#incondicional

Ideosincrasia, pensei eu
No momento em que as vi!
Como poderiam uma e outra
Ocupar tamanha dimensão
No meu singelo coração?
Deixei a razão intrometer-se
Indagando o porquê de tal Amor!
Charmosas como a luz do sol
Irradiam ternura com seu sorrir
Olhos nos olhos, mãe e filha
Ninfas, amigas, confidentes
Afinal são seres livres e incomuns
Legitimando um amor incondicional!

(Aníbal Panza)
#foi

Foi em ti
Que encontrei
Sem aviso
O resgate do sorriso!

Foi em ti
Que senti
Sem ironia
O sentido da palavra!

Foi em ti
Que recebi
Sem mentira
O aconchego de um abraço!

Foi em ti
Que provei
Com amor
A doçura de um beijo!

Foi em ti
Que então vi
Sem cegueira
A intensidade do Amor!

Foi em ti
Foi por nós
Que diferenciei
O antes e o após!

(Aníbal Panza)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Ainda a propósito do dia 14 de Fevereiro de 2014
#diadosnamorados

Deitada no teu leito
Imaginas este dia
Abraçando os teus desejos.

Desejos apaixonados
Onde os nossos corpos
São protagonistas.

Naturalmente
Alheada das sombras ao redor
Mostras-me sem nada temer
O quanto importa viver
Resgatando
Aquela tranquilidade
Declamada por nós
Olhos nos olhos
Sorrindo, dizendo e sentindo o AMOR.

(Aníbal Panza)
A propósito do dia 14 de Fevereiro de 2019 denominado Dia dos Namorados.
#naturalmenteoamor

Naturalmente o amor!
Amar é compreender e ser compreendido
Ternamente
Unindo sentimentos
Rasgando os preconceitos
Amar é querer a felicidade do outro
Luz que ilumina sem cobranças.
Momentos que ficam para a vida
Entrega partilhada
Não ter medo do amanhã
Tempo para ficar num abraço
Escolha que não se explica.

Onde está o amor está a amizade!

Amar é naturalmente
Morrer de amor continuando a viver
Olhar e tudo dizer em silêncio
Razão que cala sempre que o Amor fala.

Naturalmente. O AMOR!

(Aníbal Panza)
#tudooquepreciso no Dia dos Namorados

Como chilreiam os pássaros
No beiral do meu telhado
Pedindo ao tempo que passa
Num desejo incontrolado
Que me mantenha acordado.

Ainda envoltos os meus braços
No teu corpo imaculado
Com incontáveis sonhos de vida
Sei que estás ao meu lado
Repleta de um amor copulado.

Olho para ti, nada digo
Apenas esboço um sorriso
Com o cantar dos pardais.

Porque estar assim contigo
É tudo o que eu preciso
Que hei-de eu querer mais?

(Aníbal Panza)
# num abraço

Num abraço abri portas à vida
Sem temores deixei-a entrar
Fiquei curioso
Trazia consigo um sorriso
O teu!

Num abraço fiquei a sentir
Que vinhas com ela
Esperançosa
De algum abrigo
O meu!

Num abraço perdi-me em ti
Encontraste-te em mim
Tão frágeis
Mas juntos mais fortes
Os dois!

Num abraço demos a volta ao mundo
Um abraço profundo
Sentido e apaixonado
Num abraço
O nosso!

(Aníbal Panza)
#foiassim

Naquele tempo, frente a frente
Olhar distante mas presente
Falou alto e certeiro o coração
Contrariando as bases da razão
Por ali foi construindo um sim!

Quiz o destino que o tempo
Fruto de um contratempo
Fizesse que aqueles seres
Entre os seus alvoreceres
Sentissem que o amor é assim!

Eis então que com pureza
Ficam no reino da certeza
E a vida num autêntico frenesim!

Há quem goste, quem não goste e comente
Mas esse é o um problema da gente
Na ternura de um abraço sem fim!

(Aníbal Panza)
#onome

No teu nome vejo um poema
Que emerge do pantanal
E que sem te aperceberes
Transporta dentro de si uma energia brutal.
Contudo,
Só pela entropia se consegue
A mensuração sistémica
De tudo aquilo que nós somos.
Sim! O nome é simplesmente um adorno
Que nos foi um certo dia colocado,
Qual laço ou gravata com um nó
Ora perfeito,
Ora imperfeito,
Ora disparatado,
Ora absurdo.
Mas a vida é incomparavelmente
Uma maré de acasos e preferências
Por acaso,
Entre o adorno e a essência
prefiro sempre a tua essência.

(Aníbal Panza)

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

#gostava

Gostava!
Gostava de ser mais calmo!
De ter a calma da lua
Ao permitir que a terra
Lhe esconda partes do sol!

Gostava!
Gostava de ter mais energia
Do que o enérgico sol
Para aquecer quem tem frio
Porque só tem um lençol!

Gostava!
Gostava de poder girar
Como gira a nossa terra
Em rotação e translação
Sem um qualquer encontrão!

Gostava!
Gostava que estes gostos
Não fossem por aí lidos
Como fonte de metáforas
Que mascaram os desgostos!

Gostava!
Gostava que sem camuflagem
Todos assim se vissem
E que na vida entendessem
Que os gostos ... Não se discutem!

(Aníbal Panza)
#foiassim

Naquele tempo, frente a frente
Olhar distante mas presente
Falou alto e certeiro o coração
Contrariando as bases da razão
Por ali foi construindo um sim!

Quiz o destino que o tempo
Fruto de um contratempo
Fizesse que aqueles seres
Entre os seus alvoreceres
Sentissem que o amor é assim!

Eis então que com pureza
Ficam no reino da certeza
E a vida num autêntico frenesim!

Há quem goste, quem não goste e comente
Mas esse é o um problema da gente
Na ternura de um abraço sem fim!

(Aníbal Panza)
#onome

No teu nome vejo um poema
Que emerge do pantanal
E que sem te aperceberes
Transporta dentro de si uma energia brutal.
Contudo,
Só pela entropia se consegue
A mensuração sistémica
De tudo aquilo que nós somos.
Sim! O nome é simplesmente um adorno
Que nos foi um certo dia colocado,
Qual laço ou gravata com um nó
Ora perfeito,
Ora imperfeito,
Ora disparatado,
Ora absurdo.
Mas a vida é incomparavelmente
Uma maré de acasos e preferências
Por acaso,
Entre o adorno e a essência
prefiro sempre a tua essência.

(Aníbal Panza)
#explicação

Há tantos dias
Normais
Especiais
E outros que tais...
Mas hoje não!

Hoje
Sinto
E pressinto
Um dia reles
Detestável!

Sem ginásio
Sem oração
Sem um sim
Ou um está bem
Apenas um perentório ..." não!"

Está bem
Eu compreendo
Por tudo o que vou vendo
Por serem leis do mercado
O pecado mora ao lado!.

Estou mal habituado
Sou um menino mimado
Faço uma birra
Amuo
Sou guloso... está explicado!

(Aníbal Panza)
#sabores

Fevereiro dia um!
Um percurso atribulado
Até á quinta do Monte
Quatro amigos reunidos
Num ambiente com fado

Entre duas altas patentes
E os Recursos Humanos
A instável mesa redonda
Fez de nós uns seres contentes
Noutro comprimento de onda.

Iguarias agradáveis
Uma  conversa pegada
Nuns momentos formidáveis
Que nos fizeram pensar
Que a vida sem isto é nada!

Já comidos e saídos
Voltaremos mais, outro dia
Nunca seremos demais
Pelo balanço positivo
Tão bom que isso seria!

São momentos sem tormentos
São ritmos com mil cores
São livres os sentimentos
São amigos, são amores
São segredos, são sabores.

(Aníbal Panza)
#navegações

Tal e qual como as marés
É assim minha vontade
Na água molho os pés
Piso no lodo a verdade.

Convidam-me a embarcar
Iludo-me com tal destino
Sinto o barco a naufragar
Em escolhos clandestinos.

Descubro no meu navegar
Rotas com calvários enfadonhos
Onde despertamos dos sonhos!

(Mariavaicomasoutras. Julho 2017)

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

#pensei

Pensei!
Sim pensei! Em quê?
Sim em quê?
Porquê?

A pensar
Morreu o burro!
Dizem vocês!
Seres pensantes!

Em que pensam?
Pensam que somos iguais?
Nunca!
Porque vocês pensam demais!

Eu pensei!
Na minha mente dorida
De tão incerta que é ...
A vida!!

Porquê?
Porque há um amor
Intenso, presente
E quem teimosamente não se ausente!

E agora penso!
Espero feito indolente?
Ou avanço, sem medo
De um modo inteligente?

(Aníbal Panza)
#desculpas

Deixo que as culpas esvoacem
Entre a floresta de uma mentalidade
Sei que nem tudo é verdade
Como nem tudo é mentira
Umas vezes na falta de humildade
Levamos o vôo ao limite
Pondo quem nos rodeia em risco
Acabo a pedir desculpas
Será assim que resisto?

(Aníbal Panza)
#divino

Deito as palavras ao vento
Como se fossem sementes
Umas talvez fecundem
Na mente de quem as ouve
Outras talvez provoquem
Incêndios nas más ideias.

A liberdade é um caminho
Que Deus a todos deixou
Há quem vá nele sózinho
E há quem por medo fique
E com o passado já não se identifique
Porque na vida errou.

Nada foi feito por mal
Apenas se deu o acaso
De prosseguir um destino.

E em tudo vejo um sinal
Pois a ideia que extravaso
É um fundamento Divino!

(Aníbal Panza)
...
#areescreveravida

Às vezes fico em silêncio
Às vezes também choro
Ou sorrio
Porque amo!
Amar tem estes caminhos
Sinuosos, temerários
Esperançosos!
Abraço-me á inquietude
Porque temo
Poder um dia perder-te
Porque sei
Quanto também me amas!
Está no pesar dos meus olhos
Tudo o que me fazes sentir
Então decido
Esperar uma nova primavera
Mas não espero por ti
Porque sabes quanto a isso
Que estou
Meu amor
Dentro de ti!

(Aníbal Panza)
#paixão

Falar de ti neste momento
É abrir as portas à amargurada ternura
Que sempre guardei cá dentro
No antro do meu frágil coração
Onde se refugiou no auge da noite escura.

Com ela guardei-te a ti
Mulher menina, mulher bela
Tão bela quanto o renascer da aurora
Que me ilumina a cada uma das manhãs
Prenúncio de uma vida pura e singela.

Não quero sequer sentir que tu me foges
Pois que nos braços de alguém
Por força de um percurso te entregaste
Enquanto eu de uma forma humana
Nada mais fazia que cuidar os seres que sofrem.

Hoje, livre para voar assim me sinto
Até pousar delicado mas intensamente
Na envergadura trémula dos teus braços
Que num completo e demorado abraço
Me deixa maravilhado indubitavelmente.

Arrebatado por mil beijos que em cascata
Numa sofreguidão nunca pensada
As nossas bocas trocam docemente
Ficando ali coladas sem demora
Desejando que tudo perdure pela vida fora.

Fosse a realidade do nosso sentir
A verdade suprema de um porvir
Este amor de tão sofrido que há em nós
Nos trilhos penosos da razão e coração
Encontraria a livre expressão de uma paixão.

(Aníbal Panza)

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

#carinho

Convidaste-me a entrar
Através do teu sorriso
Respondi logo que sim
Indo de encontro ao teu querer.
Nessa Onda de carinho
Havemos de assim ficar
Onde a maré nos levar!

(Aníbal Panza)
#comoébom

Como é bom sentir-te assim
Sempre tão perto de mim!
Ouvir o teu respirar
A cada meu acordar!

E sinto-te tão repousada
Com a cabeça encostada
No aconchego do meu peito
E o abraço mais perfeito!

Já acordada abres os olhos
Incendeias os rastilhos
Provocando a ignição
De uma explosiva paixão!

E como em tudo o que é bom
Vai-se o tempo mas fica em nós o momento
Que alimenta o coração!

(Aníbal Panza)
#Emdiadeaniversário

Nas palavras ficam:
O silêncio
As memórias
As histórias
O queixume
O ciúme
A paixão
O amor.

E em tudo ficam:
As lições
De vida
Da vida
E para a vida
Naquilo que se faz!

Resta-me:
Seguir o coração
Vencer a impaciência
Manter a minha consciência
Em paz!

(Aníbal Panza)
#VemAmor!

Vem amor!
Dorme em meus braços
Traz teu corpo
Escaldante
Reluzente.

Vem amor!
Estou á espera
Ansioso
Pelo abraço
Que se sente

Vem amor!
E num suspiro
Fundes teu corpo
No meu
Que é todo teu!

Vem amor!
Que a sorrir
Sussurramos nossos nomes
Partilhados
Numa onda
De prazer!

Vem amor!

(Aníbal Panza)
"Os autores gostam de gatos porque eles são calmos, amáveis e seres sábios. E gatos gostam de autores pelas mesmas razões."
(Robertson Davies)
#amigaSeMpre

Sorrir é viver
Ontem, hoje e sempre será
Nunca esquecendo a amizade
Imagem pura e bela a vossa
Amando quem vos ama.
Mulheres sois
Agradecei à vida
Raios de luz que vos apontam
Caminhos a seguir
Ilimitados no tempo!
Amigas! Continuai assim!

(Aníbal Panza)
#ilimitado

Hoje não quero falar de mim
Porque sim!
Mas, enfim!
O que és tu afinal para mim?

Na tua modesta humildade
Sem vaidade!
De verdade!
És a minha natural serenidade!

Está em ti o pão da minha boca!
Está em ti a luz do sol!
Está em ti o mais belo do luar!
Está em ti o mais doce da pipoca!
Está em ti o encanto do meu mar!
Está em ti o mais suave areal
Está em ti o segredo de amar!

És o meu original pecado por seres assim!
Abençoado!
Inexplicado!
Ilimitado!
És um pedaço de mim!

(Aníbal Panza)
#maisumdia

Acordar
Sentir a vida
Ainda com a preguiça por perto!
Grato
Por estar vivo
Num mundo que é tão incerto!

Sinto no coração
Um pulsar
Num ritmo algo anormal!
Pressinto
Que é mais um dia
Em que tudo está igual!

Vou à vida
Esperançoso
Que hoje algo aconteça!
Oxalá
Que a mudança
Me deixe em paz a cabeça!

(Aníbal Panza)

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

#odiaéhoje

Olá, bom dia!
Minha jóia
De uma bijuteria
Que toda a luz irradia!

Tu que encantas
As nossas almas unidas
E que alivias as dores
Nas horas que são sofridas!

Que este dia seja enfim
O fim de um caminho incerto
E que a riqueza do mundo
Seja ficarmos mais perto!

(Aníbal Panza)
#quemdenós

Talvez eu! Talvez!
De tudo aquilo que se fez
Ou se desfez
Uma ou outra
Ou tanta vez
Desiludido
Entorpecido pelos porquês.

Talvez eu! Talvez!
Moribundo
Entre um desisto ou resisto
Estou assim como me vês
Enlaçado numa teia
Onde a ideia
Sempre ensina
Que a fantasia se desnuda
Fazendo da noite dia!

Talvez eu! Talvez!
Fecho os olhos por uma única vez!
Já Cadáver
Vou sem medos e arranco
Todo o mal pela raiz
Porque foi isso que quis...
Talvez eu! Talvez

(Mariavaicomasoutras)
#almagémea

Em silêncio, tudo ali aconteceu
Sem palavras nem ruídos
Parecíamos eternos conhecidos
Quando o amor floresceu!

Explicações não encontramos
Para uma imensa afinidade.
Diria com uma total naturalidade
Que com a paixão nos deparamos!

A qualquer hora do dia
É um predestinado mistério
Por ser mútuo e tão sério
Numa imensa e perfeita sincronia.

É uma atração e um desejo
Na intensa dádiva do beijo
Entre o macho e a fêmea

Que no amasso dos abraços
Há uma fusão dos seus braços
Por serem a alma gémea!

(Aníbal Panza)
Porque as há...

#verdadeirasamigas

Somos verdadeiras amigas!
Olhos nos olhos tão puros
Num conturbado jardim florido!
Íris brilhantes presentes
Amanhãs de esperança
Lindos sorrisos constantes
Irmanados no sonho de alguns porquês
Modelos de vida?
Abraçamos o lema "um dia de cada vez"!

Mostraremos ao mundo
Aquilo que somos e cremos
Reabrindo caminhos
Consolidando a amizade
Ignorando a maledicência.
Afinal que esperavam de nós
Aqueles que nos eram condicionantes?
Lamúrias para quê? Lamúrias porquê?
Vacilar nunca será connosco
E que fique bem claro para vocês
Somos verdadeiras amigas!

(Aníbal Panza)
#sorrriso

Lábios de seda
Numa silhueta
Com contornos perfeitos
Naquele seu rosto
De pele tão alva
Não encontro defeitos
Apenas por vezes o esboço
De um certo desgosto!

Duas pérolas brilhantes
Cintilando vão
Por entre os cílios
Que lhes dão proteção
E a todo o instante
Reduzindo a distância
À esperança que está
No meu coração!

Abençoada expressão
Que me recompensa
De um modo invulgar
Quando os cantos da boca
Permites que subam
Suave e docemente
Elevando e mostrando
Que o sorriso não mente.

(Aníbal Panza)

domingo, 13 de janeiro de 2019

1°, JANTAR DE GALA SOLIDÁRIO DO CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CARREÇO (CSCC)

Ser solidário é estar presente
Ser solidário é dar a mão
Ser solidário é ser diferente
Ser solidário é ter coração.

Ser solidário é saber ser
Ser solidário é saber estar
Ser solidário é saber fazer
Ser solidário é saber amar.

É no cuidar com AMOR
Que se distingue o CSCCarreço
Nos seus colaboradores está o valor
Aos quais tenho o meu maior apreço.

(Aníbal Panza)

Parabéns a todos os presentes porque sem eles o jantar não faria sentido.
Parabéns aos organizadores,para que nunca se cansem de reunir as pessoas com propósitos solidários.
Obrig

domingo, 6 de janeiro de 2019

#amantes

Duas íris cor de mel
Cruzam, fixam, cintilam
Qual carrossel
Em que duas almas
Se amam,desejam,veneram.

É como que uma faísca
Que no ventre palpita
Uma vontade que se arrisca
E que essas almas agita!

Uma atracção fatal
Aproxima os corpos
Dessas almas sedentas.
Um desejo carnal
Duas vontades atentas.

Corpos colados,
Dedos entrelaçados,
Lábios molhados,
Gemidos sussurados!

Dançam corpos e almas
Até rebentar fogo de artifício
Como se batessem palmas
E mesmo assim do desejo
Permanece um resquício!

Tão bom o momento
Que fica no pensamento!
Tamanho é o sentimento
De novo sedento!


  • (Tomásia)
#olhaparati

Hoje vou falar para ti
Que não sendo cego
És bem pior que isso
Porque apesar de veres
Nada queres ver
Pois que o óbvio te recusas a ver!

E é tão fácil ver!
Não precisas de abrir
Nem sequer uma nesga
Dos teus olhos.
Isso, mantém-os bem fechados
E fixa-te na sua representação cerebral!

Tens perante ti um memorial
De um passado que já foi
E de um presente ofuscado.
Aí, abre os olhos de mansinho
E sem hesitação não pares
Segue por outro caminho!

(Aníbal Panza)

#naosei

Não sei!
Juro que Não sei!
Mesmo que o soubesse
De nada me serviria!
Porque aquilo que tu és
Nunca ninguém mudaria!

Não sei!
Juro que não sei!
O que seria do coração
Se fosses como as lágrimas
Que caem desesperadas
Pelo rosto até ao chão!

Não sei!
Juro que não sei!
Porque me apaixonei
Num olhar e num abraço
E nesta simples poesia
Deles não me desfaço!

(Aníbal Panza)

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

#confio 

Confio! 
Em ti assim 
Como te apresentas 
A mim! 

Confio! 
Nas certezas 
Que todos os dias 
Me dás! 

Confio! 
Na tua gestão 
De um tempo 
Fugaz! 

Confio! 
No Amor 
Que é o teu abraçar 
Sentido! 

(Aníbal Panza)