quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

2015

QUE O 2015 VOS TRAGA

PAZ

AMOR

SAÚDE

...E AQUELE NOSSO SORRISO PARA PARTILHAR DE FORMA PERMANENTE COM OS OUTROS


segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Estrela da tarde

Estrela da tarde
Lua da madrugada
Um corpo que arde
Noutro com luz encantada!
O amor se inflama
Até de manhã
Desfazendo uma cama
Com sabor a romã!
Depois do ocaso
O eclipse é total
Teu corpo eu abraço
Na penumbra carnal!
Estrela da tarde
A lua brilhou
A terra te guarde
No amor que te dou!
Aqui nos jardins
Em qualquer recanto
Tu és para mim
Na tarde a estrela
Uma luz sem fim
Que me abre a janela! 

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Conversas ao ouvido!


Ai quem assim me dera ser
um menino bem estimado
que espectáculo era ter
aqui a bela a meu lado!
Isso sim é que ia ser
coisa cheia de razão...
co'a pata na poça a tremer
de choque no coração!
Segredando aos teus ouvidos
palavras doces e ternas
que até nossos sentidos
tirariam força às pernas!
Só tu me podes ajudar
naquilo que eu conheço
basta tão só me abraçar
serei aquilo que  pareço...
Não chega estares para ouvir
tontarias ou queixumes
seria melhor o sentir
do odor do meu perfume!
Pantominices eu disse
para alegrar tua vida
se pudesse... talvez fugisse
contigo que me és querida!
Dessa forma o meu sinal 
que relacionas com tusa
fosse um pecado mortal
por te adorar minha musa!
Despedir com tanto beijo
é sinal do meu carinho
ai se as minhas mãos sedosas
percorressem teu corpinho
talvez no meio de rosas
nem sentíssemos o espinho.


E muito obrigado a todos aqueles que me desejaram um bom Natal...estão no meu coração.

domingo, 21 de dezembro de 2014

FELIZ NATAL


Agora sim.

FELIZ NATAL A TODOS OS MEUS AMIGOS E AMIGAS aqui neste local, para os que não gostam de mim que o Natal lhes traga mais AMOR e COMPREENSÃO

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

...e mais não digo!

O Tu podia ser Eu,
Porque não?
Porque de mim tudo nasce
E logo em ti permanece!
Tu és meu e Eu sou teu!
Tu e Eu, como Eu e Tu
Como assim?
Porque sim!
Não é em vão que nos damos
E nesse dar nos perdemos.
No encontro desabrochamos
E de novo renascemos.
Tu e Eu ou Eu e Tu
Dois num só não é castigo
Dás-me luta pois então
Sabes que Eu te persigo
Em todo o meu recanto.
Porque Eu sou o teu antro
E Tu não passas do meu cancro.
Um tormento que maldigo.
Tu em mim e Eu contigo
A coisa é mesmo assim
E será até ao fim.
Eu persigo-te a fugir
Tu foges-me no perseguir.
Não me venhas com histórias
De encantar ou iludir
Gravei-te nas minhas memórias
Deixa-me ao menos sorrir.
Ligados pelo umbigo!
Eu sou Tu
Tu és Eu,
e mais não digo!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Puro saudosismo...


Saudades, apenas muitas saudades....

...You Know me well...You made me smile When i Was down....so i'm allways gonna sing for you

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Na minha cama



Com todos os meus leitores aqui me deito e deleito, a cama é estreita e só mede 350x250mm mas cabemos aqui todos...se alguém se sentir apertado, que faça o que entender.



"Alma minha, amor ardente"
Afirmação do poeta.
No amor, a gente sente
Da alma a sua faceta!

Quando entregas o teu corpo
A um ser que te entende!
Encontras sempre o conforto
De uma alma que surpreende!

Assim, na minha cama quero tua alma!
Mais despida que o teu luzente corpo!
Ficarás para sempre muito mais calma,
E teu amor apagará o obscuro do meu corpo!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Carta

O que uma carta pode dizer ou significar.
Algumas delas, vindas à praça nos últimos dias têm o significado que cada um de nós lhes atribui.





O que dizem:

"Três coisas devem ser feitas por um juiz: ouvir atentamente, considerar sobriamente e decidir imparcialmente."

"A administração é uma questão de habilidades, e não depende da técnica ou experiência. Mas é preciso antes de tudo saber o que se quer."

"Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos."

"Se o desonesto soubesse a vantagem de ser honesto, ele seria honesto ao menos por desonestidade."

"A maneira mais fácil e mais segura de vivermos honradamente, consiste em sermos, na realidade, o que parecemos ser."

"A verdadeira mentira é, pois, com todo rigor e justeza da expressão, a ignorância que afeta a alma do que foi enganado."

"É muito mais fácil corromper do que persuadir."


                                                                                                  Sócrates(399 A.C.)

PS(Ainda magoas alguém. O tiro passou-me ao lado. Ainda magoas alguém...Se não te deste a ninguém. Magoaste alguém. A mim... passou-me ao lado.)(Toranja)

Coisas do coração



Tu, coração palpitante
Que saltitas no meu peito
Numa cadência intrigante
Se estou ou não satisfeito!

Se me sentes excitado
Saltas em taquicardia
Como uma fera açoitada
Assustada e fugidia!

Por vezes és o contrário
Na concórdia temerária
Pareces um sedentário
tão lento em bradicardia!

Se te dão os arrebites
Baralhas a fisiologia
No bater incoerente
De perigosa arritmia!

Deixas-me assim ansioso
Pensando em te arrancar
E num gesto rancoroso
Fechar e lançar-te ao mar!

Na mente logo se instala
Uma ideia angelical
Maria tu és acéfala?
O coração fez-te mal?

Pôr o pobre numa caixa
que não é a original
Vai deixar-te cabisbaixa
Vais sentir-te irracional!

Não faças isso Maria!
O peito sem coração,
não tem ser nem valentia
nem tão pouco emoção!

Olha que o mar não se ilude
Nas caixas com corações!
Pois na sua inquietude
Devolve-as aos tropeções!

Deixa pois que o coração
Bata ao som das emoções
Quer seja na frustração
Ou no intenso das paixões!

Assim, com as mãos no peito
Afaga suavemente o coração...
Sentirás rapidamente o efeito
Da sua palpitação!

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Uma VERDADE...para MEDITAR






...estou de acordo com EL KOMANDER...

A minha alma é tua



Querer tocar-te e não poder
Uma vez...ou muitas mais!
Sinto minha alma esvoaçar
Sempre que a infernal saudade
Se entranha no meu pensar!

Minha pobre e despida alma
Muito orgulhosa do teu ser!
Aquece só de pensar tocar-te
Qual humilde sofredora consciente!
Procurando-te por toda a parte!

Verdadeiro este meu pensar
Entregando minha alma nua
Destroçada, perdida e sem poder!

Tomara que eu em breve te toque
E a minha alma será o teu pertencer!.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Inocente


Desculpem a antecipação do Natal mas a verdade foi reposta...

Em jeito de rodapé...o meu desabafo!





Quem não deve não teme! Como nem sequer sei que nada sei, qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O teu sorriso



Maldita sejas maldade, infame.
Destruíste esse sorriso?
Que o meu olhar se inflame
E perca de todo o meu juízo!

Cara redonda, cabelos caídos
Olhar estonteante e lacrimejante
Lábios ardentes rasgados
Num sorrir de presença inconstante...

Assim eras, assim te conheci
Roliça, imensamente pura no trato
Numa troca de olhares eu sorri
Como quem sela um contrato!

A maldade rude dos incompetentes
Afastou-te de nós todos sem piedade
Sei que tudo o que agora sentes
É um pujante desejo da verdade!

Acredita em mim apesar do fim
Faz do que te digo um abrigo
Sorrir é voar, viver e dizer enfim
Que sem ele sofro imenso castigo!

Porque um sonho assim não termina
Mesmo quando a morte me chama
Na minha confusa mente germina
Semente que por ti ansiosamente clama

Sou um guerreiro de nascença
Luto pelo que desejo e preciso
Com a minha força eu vença
trazendo de volta o teu brilhante sorriso!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Às Vezes

Às vezes...







 ..."Quando tiveres uma lágrima de tristeza, parte-a ao meio. Dá-me metade e chorarei contigo. Quando eu tiver um sorriso, dou-to inteiro para te ver feliz" (AD)

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Patologia

"Patologia" (Friedrich Nietzsche)

 A objeção, o desvio, a desconfiança alegre, a vontade de troçar são sinais de saúde: tudo o que é absoluto pertence à patologia. (http://www.mensagenscomamor.com/frases_de_friedrich_nietzsche.htm#ixzz3IloF2dLq)

Face a uma verdade absoluta que é : "Já se passaram quase 12 meses de ausência ao local de trabalho", concluo que :"estou perante um estado patológico",
portanto, vamos lá dar sinais de saúde: 







quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Menina da rádio ou um poeta ridículo?

Bela música, esta que tu me dás,
Aquele interesse interessante
que procuro todas as manhãs.
Interesse que ambos temos 
E por isso aqui vivemos!
Livres, sem rodeios nem colcheias
Numa pauta de breve a semi breve
Com claves de sol ou mesmo de fá-me rir!
É musico quem assim escreve
Sendo que a musa és tu...
Passeando os meus sentidos
Em mil jardins floridos...
Onde o meu coração se perdeu
Porque Maria sou eu!
E entre duvidas nos afectos
Escrevo o que sou em concreto!
Porque quem fica na história da gente
São pequenas coisas do presente!
Ah como gosto de te ouvir
A ti, menina da rádio falante,
aqui e em qualquer lugar que existe!
Mesmo que seja distante!
Mas, escrever é mais fácil que falar
Lembrarás isso nos "entas"
Sempre que te sentires feliz...
Só pra me dizer inventas
e pensas o que não se diz!
A avó gosta de ti assim!
E, na coceira das pulgas que a picam
a tua fala nunca tem um fim.
Quando do profundo, a raiva 
me pede para que o mundo 
triste e rude não existisse 
passas a melodia "so beautiful"
esqueço tudo o que disse!
Sinto que és vertical,
Mulher flor mas muito mais flor mulher!
Parece que estou na lua 
ou na planície alentejana
Menina da rádio que voz a tua
todos os dias da semana!
Nesta panóplia a escrever
Nada e tudo que me dá gana,
Tal e qual um feliz duende,
Faço o que ás vezes me apetece
Deito-me e ouço-te comigo na cama!
Aí, mil e um delitos se tecem
pequenos mas renovados
onde tudo o que acontece 
é para adultos isolados!
Passas a publicidade...
As coisas são como São
Regressas só com verdades
e temas para reflexão...
Agarro meu xaile de seda 
abro a janela para o jardim.
Enquanto o computador carrega
meu inspirar não te fim...
Volto a ouvir-te falar 
como ao ouvido se segreda.
Perco-me em ti e por ti
incapaz de me ausentar
Quase tudo na vida eu adio
ficando preso onde não há fios,
Menos a conversa amena 
Onde aos teus convidados
Nas perguntas mais serenas
tu és levada da breca!
Assim és tu, menina da rádio
Com trapos de uma boneca
Recrias qualquer discoteca
Por isso, não ter interesse, que me interessa!
Não sou pessoa importante,
Mas considero-me interessante!
Tu dirás desta inferência
Se está presente a inteligência....
Ou, se num disparate afinal,
Temos presente um versículo
que no vigor da redundância
faz de mim um poeta tão ridículo!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Meninos tecidos


Meninos continuamos, nós humanos,
tratados por vezes como trapos.
A culpa não é do tecelão,
mas de quem anda com a  tesoura na mão!
Meninos tristes, cabisbaixos, quais farrapos,
tratados como diferenciados,
cada vez com mais de nada devido a tanta tesourada!
Mas que importa, meninos nascemos,
meninos crescemos e como meninos morreremos...
De igual para igual, voltaremos ao local original! 

sábado, 1 de novembro de 2014

Angels

Um estado de espírito..apenas por se tratar do dia 1 de Novembro.

A todos aqueles que partiram e nos deixaram de alguma forma esta saudade...



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O que a vida me apresenta!

O tempo passa a voar!.
Os dias esfumam-se!
A ansiedade aumenta.!
Resta-me esperar...
É isso que a vida me apresenta!

Não sei mesmo o que pensar...
Sei que não depende de vontades!
Tudo depende de um destino
Onde se esconde o errar...
Que também está no figurino!

Força, coragem e outros ditos
São palavras que bem soam...
Cheguei a este patamar,
Fui cumprindo os requisitos
E o tempo passa a voar!

Ser capaz... é uma virtude
Ao alcance do ser vivo.
Os meus sentidos perturbam-se
Pelo pensamento que ilude...
Por isso os dias esfumam-se!

Nas mãos de alguém me entrego
Numa abertura para a vida.
Nesta nau rasgo a tormenta
Enquanto preces eu rogo
A ansiedade aumenta!

Não estou só nesta viagem
E muitos por aqui passaram!
Assim, neste meu desabafar
Para atingir a outra margem!
Já só me resta esperar...

Lutar, lutar sem parar
Contra uma doença maldita.
Na incerteza se tenta
Melhores dias alcançar...
É isso que a vida me apresenta!

A paz!O amor!A amizade!
Num tempo que passa a voar!
Nesses dias que se esfumam!
Na ansiedade que aumenta!
Apenas me resta esperar...
No que a vida me apresenta!


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Dizer da Vida

Não imagino o que fizeste ou disseste!
Porventura, até podes ter razão...
Só que há sempre quem conteste,
O que sentimos no fundo do coração!

Já Jean Paul Sartre dizia:"Viver é Isto, 
ficar se equilibrando o tempo todo 
entre as escolhas e as consequências"
Por isso, a tua dúvida é um incómodo!

Daqui com carinho te digo,
Não tenhas medo de nada...
mesmo que venha um castigo,
Que importa, a vida é uma escada!

Sobe e desce e desce e sobe
os degraus com paciência!
Verás que a vida bem pode
Com toda e qualquer consequência!

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Pássaro em queda

...continuando o meu repositório.( Postagens agendadas de forma periódica por motivos óbvios)
 
Pobre pássaro que pareces ir morrer!
Na tua história de vida um estafeta.
Com os pais aprendeste a sobreviver!
Ensinando os novatos atingiste a tua meta!

Como quem vai a um arquivo
à procura de uma velha quimera.
Sinto que o pássaro está vivo
Como viva é a Primavera!

Tal e qual a nossa sina!
De uma vida desgastante!
Dos sonhos de uma menina,
fiz-me uma pessoa importante!

Somos assim passarinhos!
Sempre e sempre a voar...
Nunca deixemos os sonhos,
nesta nossa frágil vida acabar!!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Coligação versus Oposição





E porque não um ajustamento adulterado da Dona Laura do Miguel Araújo.
Não me levem a mal apeteceu-me.


Olha a Coligação lá vai toda decidida
Diz que é crescida e que prescinde dos conselhos do povo
Olha ela, lá vai toda destemida
Dona das vidas nem duvida que é por ali que  vai cair  no lodo
Olha a coligação a cortar na função publica e reformados
Contradiz a oposição na assembleia parlamentar onde anda
E manda na dinâmica dos votos
Não vai à bola com as bocas da esquerda
E não disfarça e faz a vida negra às criaturas
É a ditadura de quem manda só porque sim
Olha a coligação que já fumega às escondidas do costa
Com o apoio total  de Belém
Ainda governa às escondidas com a troika
Enquanto diz que não tem medo
De nada nem ninguém
Vai, decreta até um dia
Que a vida são dois dias
E tu vais ser ninguém
Igual ao acabado
Um olho na panela
E o outro na gamela,
Um dia vais ser oposição, tal e qual como ela
Olha a coligação julga-se a dona da verdade
Sem ter cuidado com os cortes acolá e aqui
Sempre que a chamam á  razão desatina e pouco diz
Acha que opina bem sobre o estado a que chegou o país
Olha a coligação lá vai cheia de orgulho
Nenhum vestígio de passos e portas outrora santas e singelas
E a mãe acabada fica a vê-la da janela
Ainda se lembra bem do tempo em que a coligação era dela
A dar palpites às escondidas do pai com o dinheiro que alguém
Subtraiu da carteira da banca
Enquanto diz ao mundo que ainda há-de vê-la ser alguém
Vai, decreta até ser dia
Que a vida são dois dias
E tu vais ser ninguém
Igual ao acabado
Um olho na panela
E o outro na gamela,
Um dia vais ser oposição, tal e qual como ela
Aproveita agora
Que há-de chegar a hora
Que não poupa ninguém
Vais ser igual à oposição
A direita ficará na trela
Repete-se a novela, um dia vais
Ser mais oposição do que ela.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Gostar...

Também gosto disso tudo!
De mim, de ti e mais alguém
No gostar eu fico mudo
Não digo nada a ninguém!

Claro que sabes que existo
e deixo aqui meu retrato!
Tantas vezes que insisto,
ignoras-me como um trapo!

Uma coisa não gostei
no teu poema adorado!
Imaginas-me "apenas", bem sei
deixas-me aqui dependurado!

Mas somos dois bons amigos,
disso posso eu falar!
Andamos meio escondidos,
entre o amar e gostar!

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Porquê?

- Mamã,
Se um ministro saíu por causa de uma anedota
Porque é que:
Um agora  não sai sendo a própria anedota?

- Mamã,
Se o prior era o Crato
Porque é que
O Crato  passou a ser o pior?

- Mamã,
Se um governo tem portas
Porque é que:
Não consegue sair por elas?

- Mamã,
Se o coelho anda a passos
Porque é que:
não há quem lhe acerte?

- Mamã,
Se os galos têm cristas.
Porque é que:
As cristas têm galo?

- Mamã,
Se o Paulo vem mais cedo
Porque é que :
a saúde se atrasa?

- Mamã,
Se Al-cuentre o supositório
Porque é que :
Al- buquerque não sai?

- Porquê mamã?
- Cala-te rapariga! Chega de tanto porquê! Já me basta aquele pessoal todo a fazer perguntas nos parlamentos e as respostas são o que se vê!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Amo

Amo este amor bem real e sentido na partilha de dois seres .
Amo o teu corpo no meu, tão igual na diferença…
Amo quando te dás no recíproco de uma troca…
Amo teus dedos quando colados nos meus…
Amo quando tua vontade mata a fome…
Amo o encosto além da pele do rosto…
Amo os carinhos livres do medo…
Amo os beijos de segredo…
Amo o cheiro que é teu…
Amo tua voz de dama…
Amo tanto ao ver-te…
Amo dentro de ti…
Amo o sabor…
Amo o amor…
Amo amar…
Amo… 


(Uma palavra com três letras na base consegue suportar o peso de muitas outras)

domingo, 5 de outubro de 2014

Força, Forca!

Porque estamos num ex feriado...5 de Outubro, lembram-se? Passou-se em 1910 com o fim da monarquia e implantação da República.
Porque o poeta perguntou "Valeu a pena?"
Porque me apetece implantar uma outra republica "sem bananas"
Porque a força existe mas não se une.
Porque a forca pode ser útil:


E tu?  Forca calada não dizes nada
deixas que a voz do poeta
passe a ser a de um profeta
ficando a corda de linho abandonada?

Encrespa-te, ou então dobra o teu joelho!
Lembra-te que nobre pode ser tua missão
Se teu laço cumprir uma difícil função:
Afagar com mui vigor o pescoço de um coelho.

Deixa-te de cabelos que são uns simples pelos!
E escuta--me com atenção se assim quiseres,
No meu antro tenho sisal aos novelos!

Chama um a um a teu laço, sempre sem atropelos
Iludindo-os a seu modo,pode ser com malmequeres 
Rapidamente ficas livre, dessa corja de camelos!

Forca só...não! - força forca! 

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Diz que disse!

Não sou eu que digo, quem o diz é o diz que disse!

Dizia-se:
"há mouro na costa"
Diz-se:
" há costa no rato"
Dizia-se:
"há seguro no PS"
Diz-se:
"há PS sem seguro"
Dizia-se:
"todos os caminhos vão dar ao rato"
Diz-se:
"Os ratos vão por todos os caminhos"
Dizia-se:
" não se deve trocar o seguro pelo incerto"
Diz-se:
" Trocou-se o seguro por  costa...certo?"
Dizia-se:
"Sócrates era o pior"
Diz-se:
" que temos o pior de sócrates"
Dizia-se:
"casa onde não há pão todos ralham ninguém tem razão"
Diz-se:
" casa onde não há pão todos ralham quem terá razão?"
...
...
Quando acabará o diz que disse?

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Entrega ou ausência

Dizes entregares-te a mim...
juro que por vezes sinto isso.
Só que a ausência no fim
deixa-me a mente em reboliço!

Apaixonada convicta
de um amor movediço,
Deixas que tua  ausência
se afaste de um compromisso!

Por isso a dor de uma lâmina
que ao aproximar-se de ti...
Transforma a dor numa chama...
que te queima um alibi! 

Entregas-te sem te entregar
Na tua presente ausência,
Já nem consigo enxergar
Porquê tanta incongruência! 

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Strip...

A minha alma está parva então não é que há pessoas interessadas em fazer um striptease às contas do primeiro ministro?
Era o que mais faltava!
Querem strips? Procurem os locais onde os possam ter e ver durante o  fim de semana!
Cuscos!

Pardais ou aves de rapina!

Pardais...frágeis animais
que nas searas colheis
sementes e vegetais,
Quero que vós saibais
que comigo conviveis!

O espantalho que ali está
serve para vos despistar
pois aquilo que colheis
custou muito a trabalhar!

Mas...pardais, são mais espécies
Como aqueles que governam,
são pardais que com falácias
nossas vidas nos infernam!

A esses bem gostaria 
de apertar-lhes o pescoço,
mas nunca os tragaria,
não dariam grande almoço! 

Ai como meu peito se aperta
e o coração se amofina.
De ver tantos a clamar
Pois sua vida é incerta
Com tais aves de rapina!

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Esquecimento

O presente poema não é da minha autoria, dedico-o a um senhor que nestes últimos dias revelou um cruel e oportuno esquecimento...

Esquecimento



Esse de quem eu era e era meu,
Que foi um sonho e foi realidade,
Que me vestiu a alma de saudade,
Para sempre de mim desapareceu.

Tudo em redor então escureceu,
E foi longínqua toda a claridade!
Ceguei... tateio sombras... que ansiedade!
Apalpo cinzas porque tudo ardeu!

Descem em mim poentes de Novembro...
A sombra dos meus olhos, a escurecer...
Veste de roxo e negro os crisântemos...

E desse que era eu meu já me não lembro...
Ah! a doce agonia de esquecer
A lembrar doidamente o que esquecemos...!
(Florbela Espanca)

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Dama da noite

Dama da noite!
Tão triste e tão só,
vagueias por locais pouco iluminados
à procura de pretensos namorados.
Dama da noite!
Da noite fria,
que fazes da tua vida,
uma esperança vazia.
Dama da noite!
Que castigas o teu corpo
com momentos de pretenso prazer...
Dos outros, 
de quem mais haveria de ser?
Dama da noite!
De aromas ébrios
e de alguma violência...
Porque te foi dada tal penitência?
Dama da noite!
Que o dia te ilumine,
na sua luz confortante
e faça sempre de ti
Uma Dama...
Com alma, com chama, com alegria
Uma Dama, 
mais sadia
que a luz do próprio dia! 

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

O sonho é...

Quem espera sempre alcança...
Um beijo, uma carícia, um amasso!
Nos olhos semicerrados a esperança,
Já que amar não dá cansaço! 

Na vida, todos nos iludimos
Com nosso olhar entreaberto!
Disfarçamos que dormimos
mas, o sonho é ...ver oásis no deserto! 

Farpas

Diz um ministro da República:"Posso reiterar que não há nenhum objectivo de poupança aqui , mas sim de racionalização", ..,..
Brincamos? Sr Ministro andam a gastar o vosso precioso e oneroso tempo para tão só racionalizar? Ai esta lingua Portuguesa, é que racionalizar significa "Tornar mais eficaz e menos dispendioso" pois, percebi não é o mesmo que poupar. Aldra$#&%.

Em 1625 Alexandre Dumas trouxe três Mosqueteiros para a vida. Em 2014. José e Jorge foram atacados por um enxame de moscas, Uns verdadeiros mourinhos nesta pátria que é a minha, valha-te Jesus!
É tudo uma questão de gramática da nossa língua, estão a ver porque é que os miúdos têm problemas na escola e acabam por agredir a própria língua, quanto mais os profs!

Depois de coisas como estas não se admirem que os jovens se deixem seduzir por novas correntes e cheguem ao estado Islâmico. A Ângela passou a usar a burka por opção (não discuto porque as razões podem ser as mais diversas), o problema é que sem burka eu encontro na rua muitos rostos emburkados.

E para terminar esta farparia. Fiquei aterrado com esta notícia: Um avô matou a própria filha e seus seis netos antes de cometer suicídio 


Deve ser a chegada do Outono.





sábado, 20 de setembro de 2014

Nudez, o "medo" de Maria!

Ai essa palavra "medo"
de ver o corpo nu e engelhado!
Que importa?!
Repara em mim, vê meus dedos
Que percorrendo teu corpo
Vão tocando em todo o lado!
Conforta!?
Claro que sim, diz no fundo a alma tua!
A beleza do teu corpo deixa-me admirado,
Não na nudez da tua pele
Antes na cultura que transportas,
Que me atrai, nunca repele...
Assim te vejo e admiro na rua,
Maria Tu, sempre bela porque nua! 

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Sensualidade

Sabes uma coisa?
Encontrei a sensualidade!
Não foi ela que chamou por mim, não!
Sorrateiramente fui ter com ela!
Ufa! Que calor e bem estar me provocou!
Agora, não deixo de pensar nela!
Lasciva, Orgástica, Voluptuosa, Excitante...
Iludindo os meus sentidos perturbados
Disfarço a sua ausência no meu ser!
Amanhã, sensual eu seja assim,
Deliciando-me com uma permuta!
Eu estar nela e ela em mim!!!

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Sorriso...

A minha amiga Green apeteceu-lhe e deu-me o mote:

No vazio dos meus dias
Na escuridão das palavras
Não sabendo bem porquê,
Abri os olhos... que vi?
Vi ... eras tu, ali estavas!
À minha volta  tudo se iluminou
As paredes deixaram de ser frias
Apenas e só porque sorrias!
Sempre assim, não te cansavas!

Senti que o meu sofrer escondias,
Que a dor te contaminou.
Com teu olhar me dizias.
Nada temas aqui estou!
E eu olhava para para ti
Sem uma palavra falar...
E a imagem que em mim ficou
é que sempre me sorrias!

Por isso agora vos digo
Do fundo do coração
Que às vezes me sinto um mendigo.
Caminhando indeciso.
Mesmo que caia ao abismo
Com olhos que lacrimejam,
Com todo meu estoicismo
Procurarei  teu sorriso!

Assim que o encontrar
Qual tesouro escondido.
Com ele quero ficar.
Não o quero ver partir
Ficaremos sempre os dois,
Até a morte chegar
Num olhar correspondido
Mas sempre, sempre a sorrir!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

CV


Estava enganado!
No último fim de semana fui brindado com um email que me deixou CV(com vómitos).
Pensava eu que CV significava Curriculum Vitae, pois, deve ser isso "significava" porque nos dias que correm não significa.
Diariamente convivo com jovens que não conseguem emprego nas áreas de formação em que investiram porque são confrontados com "falta de experiência".
Querem enganar-me!
Há quem passe ao lado disto tudo já que a sigla CV surge no dito email conotada com a definição Compadrio Vinculativo.
Ora uma tal comissão de recrutamento da coisa pública emite pareceres sobre candidatos onde diz "perfil adequado com limitações para a função". Até aqui pouco de relevante porque se andamos governados em muitos aspectos por pessoas limitadas para a função, está tudo dito.
Contudo, os meus olhos apercebem-se de: "...dar o salto para outra natureza de", "...perspectiva de aposta na potencialidade, mais do que baseado no valor demonstrado no CV ou na autoavaliação da personalidade", "...devem os outros membros ajudar a desenvolver", e finalmente "...deve reduzir-se o risco de apostas no potencial.
Afinal aposta-se no potencial mas há medo de arriscar no potencial.
Muito gostava de ver as ditas conclusões aplicadas a todos os jovens licenciados  desempregados.
Curriculum Vitae? Que é isso?
Já tenho idade para ter juízo,,,
Desenganei-me!

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Lua

Alguma coisa se passa comigo.
Ou será antes contigo?
Procurei-te e não te vi!
Mas sei que estás sempre aí!
A tua rotação sincrónica
numa atracção platónica,
mantêm entre nós distâncias
que gera mil inferências!
Cabeças em ti são muitas
 fazendo coisas esquisitas.
Teimosamente tens fases
repetidas todos os meses.
Dás-me a volta à cabeça
coisa que eu não mereça!
Sem qualquer apocalipse
vais procando eclipse,
que parcial ou total
é sempre algo incidental!
Ora cresces, ora mingas
nunca te mostras piegas.
Bem cheia te ponho à prova,
pois regressas sempre nova!
Na escuridão me perdi
mas na luz, tal repeti...
Lua, que vida a tua!
Sempre nas bocas da rua,
tão exposta e muito nua!
Anda, deixa lá a nuvem
parece que espias alguém
nesse constante vai e vem!
podes bem sair daí,
não te escondas, já te vi!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Sentidos

O teu olhar sorridente
enlouquece os meus sentidos.
Olhas para mim -sou teu sol!
Abanas teu corpo ao vento
sem nunca soltares um lamento.
Tuas pétalas entrançadas
segredam sonhos vividos
que não consigo ouvir,
Parecem os namorados
quando se beijam escondidos!
És tão belo - meu girassol!
Tocando a tua pele áspera
provocas-me devaneios
Chego a pensar no contraste
entre as rugas dos mamilos
e a aveludada pele dos seios.
Quero cheirar teu perfume,
com aroma tão discreto
que quase me atraiçoou,
na noite em que descobri
naquele quarto secreto
que tu provocas ciúme.
Quando ficas bem corado
e te enches de vergonha
vais baixando a cabeça,
olhas para mim de lado
como que a pensar...vivi!
Abres-te lentamente
para as sementes me dar,
agarro umas com carinho
Outras deixo-as voar
para terrenos desconhecidos.
Eis que é chegada a hora
de sentir teu paladar.
Como és bom - meu girassol!
Por estimular meus sentidos!



sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Momentos

A nossa vida é feita de momentos excelentes, muito bons, bons, medíocres, maus e péssimos. Suficientes ou insuficientes serão todos eles para determinarem o nosso período vital...
A carga que transporto sobre os ombros condiciona-me a luz do dia e traz-me fantasmas e mais fantasmas.
Olho em frente e procuro a fresta de que nos fala Fernando Pessoa:

Fresta

"Em meus momentos escuros
Em que em mim não há ninguém,
E tudo é névoas e muros
Quanto a vida dá ou tem,

Se, um instante, erguendo a fronte
De onde em mim sou aterrado,
Vejo o longínquo horizonte
Cheio de sol posto ou nado

Revivo, existo, conheço,
E, ainda que seja ilusão
O exterior em que me esqueço,
Nada mais quero nem peço.
Entrego-lhe o coração. "

Fresta de Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Quero!

É a ti que eu quero!
Minha amiga e alegre companhia.
É a ti que eu odeio!
Solidão crescente e muito fria.
Quero estar aqui,
Quero amar em cada respirar!
Quero sentir o calor das tuas palavras,
Que afastam as minhas mágoas.
É a ti que eu quero!
Porque duvidas de mim?
Porque sabes do meu amor por mais alguém?
Mas...são amores que não vivi!
Amores pouco intensos,
Amores com mil lamentos,
Amores cheios de tormentos!
Quero! Agora quero-te a ti!
Porquê esse medo da partilha?
Vês o sol que enlaça tudo o que pode?
Tu és o meu sol, a minha luz,
Quero! De tanto querer eu sofro!
Vem! Vem até mim,
vem mesmo assim!
Estendo-te a palma da mão.
Quero! É a ti que eu quero!
Porque odeio a solidão!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

SIGAM-ME! VENHAM ATÉ MIM! VENHAM ATÉ VIANA DO CASTELO





Sem mais palavras e depois de ouvirem este poema de Pedro Homem de Melo interpretado pela Amália:



SIGAM-ME! VENHAM ATÉ MIM! VENHAM ATÉ VIANA DO CASTELO


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Florbela...Amar.

Florbela Espanca e o poema "Amar" retratam muito do que eu fui e sou, caminheiro desta vida muitas vezes errante. Por isso, muita gente não me compreendeu e de mim se perdeu. Houve quem se tivesse sentido enganado mas isso nunca aconteceu porque incompreendido era eu! O ser humano anda sempre numa constante procura de explicações que no final não lhe servem de nada, mas quer saber sempre os porquês, se ao menos aprendesse alguma coisa com isso. Os anos passam, as mágoas ficam tal como a saudade fica quando mais um amor se vai. Difícil de entender, nem sempre fácil de aceitar por isso me perdi vezes sem conta mas acabei sempre por me encontrar, porque nesta vida o meu papel é amar:

Amar!Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"
























segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Pura Nostalgia





Este post tem um mix de pura nostalgia com uma verdadeira paixão em reviver o passado.

Nada de lamechices, pois então!

Quem não passou os quarenta anos deve reter na lembrança que a vida é bonita para se viver e que, quando atingirem esta idade estarão ainda mais preparadas para viver e sentir a felicidade...

Quem já os passou, como eu,  fica apenas com uma triste lembrança a de ter desperdiçado momentos que não soube, não pôde ou não quis viver...mas, nada está perdido porque o decorrer dos anos trás-nos constantes desafios à nossa capacidade de saber viver...sendo uma pessoa ligada à reabilitação e tendo ao longo dos anos contribuído de alguma forma para que paraplégicos e tetraplégicos conseguissem amenizar e ultrapassar não só barreiras arquitectónicas mas também o pesadelo das barreiras da sexualidade, tenho hoje a imensa e profunda certeza que quando nos custa saber viver, quase tudo se consegue na vida desde que existam pessoas que se dispõe a partilhar connosco de forma plena a sua vida, afastando para bem longe a solidão e o sofrimento que se abate sobre nós.

Assim, viver é desfrutar, é partilhar, é incentivar, é renovar, é acreditar e tudo isto é AMAR!


sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Não parecia mas é verdade...

Aproveitei o dia de chuva e decidi contactar duas amigas para tomar um café ali para o lado das mimosas, saia o nome, aMeadella...já não nos encontrávamos faz alguns meses.
Atrasei-me um pouco por ser dia de feira na cidade e o trânsito ao contrário do habitual estava caótico.
Quando cheguei lá estavam a SL e  a AC, sempre lindas e sem que se notem o passar dos anos, pensei comigo que ser chefe destas duas senhoras é um privilégio e sermos verdadeiros amigos enche-nos de orgulho.
Desbobinados os momentos bons e menos bons, os momentos passados e actuais, continuamos todos de acordo e do mesmo lado da barricada...
Tudo me parecia bem mas como verdadeiros amigos afloramos e partilhamos pormenores de intimidade que só amigos assim são capazes...um arrepio percorreu-me o corpo com o que uma delas me reportou, nem tudo corre como se esperava na vida conjugal...depois de oito anos de namoro e cinco de casada fico perplexo quando sei que o seu companheiro chega a estar mais de uma semana sem comunicar com ela...chega a casa, trata dos filhos e ele, nem nada de ajudar, sempre embrenhado em actividades individuais até que a pobre chegue exausta à cama e ele continue absorto por outros ideais...
Pediu-me ajuda no sentido de saber que tipo de atitude deve tomar..fiquei a saber que já tentou ameaçar com a separação mas  a reação foi um pouco intempestiva...apodera-se dela o medo de comportamentos estranhos e a chorar confidencia-me "já não me ama, só pode"... aconselho-a tal como a outra colega a tentar encontrar uma solução alargada dentro do casal mas o seu "querido" não muge nem tuge apenas diz "separar não" porque vai parecer muito mal à sua familia...nunca pensei que tal viesse a acontecer a duas pessoas que pareciam amar-se mutuamente...vai acabar mal esta relação, é uma questão de tempo...