quarta-feira, 23 de março de 2011

De férias …Ai vou eu…até à MauriTânia…

Os dias passados na Green foram espectaculares, apaixonei-me e prometo que voltarei lá qualquer dia…Confesso que nos últimos dias me arrepiei um pouco, pelo frio irónico que se abateu por aqueles lados. É curioso como em qualquer recanto do mundo as relações humanas têm muita coisa em comum.


A disputa, a intriga, a inveja, o ciúme existem e de que maneira…Os homens são como em Portugal, galãs, respeitadores, charmosos, entediantes, ciumentos, brutamontes, sarnentos, rabos de saia, ou talvez não, talvez sejam aquilo que nós pensamos que são e não são…

Das Marias poderia dizer o mesmo que disse sobre os homens…reparei contudo que são mais exploradas fisicamente, quem tem corpos Danone, passe a publicidade, não pode esperar outra coisa. Até me benzi, eu que sou crente, pelas ciumeiras desmedidas que elas têm, tal e qual as nossas Tugas. Que manias, só têm o que merecem, deixam de prestar atenção ao que têm por casa e depois queixam-se. A chama da paixão e do Amor mantem-se acesa, como qualquer chama, se houver combustível e muita criatividade, há que dar lugar a energias alternativas.

Não divagando mais, decido afastar-me daqui e num ápice atirar-me de cabeça a uma terra com características de melhores temperaturas, a Mauritânia, duas em uma a Maura, mais morena e roliça, um oásis no deserto que a Tânia esquelética e arenosa representa. Com estas duas juntas, as escarpas são um desafio bem mais radical que o proposto na Green…ventos que nos apaixonam e escondem em dunas numeradas e enamoradas…minérios que nos atraiçoam mas que dão origem a obras de arte primorosas 4ever…

Cheguei à capital NuaKchott…a minha língua demorou a balbuciar esta palavra, “Nua” “K” “Chott”, assim como quem não diz “Nua te comia” mas antes “Nua és como um Shot”, agarro-te, seguro-te, encosto-te, inclino-te, devoro-te num trago e suspirando penso “que sabor”…venha outro e mais outro!

Sinto-me grogue…para por aqui…perdido neste deserto com um oásis por perto garanto que vou voltar.

2 comentários:

  1. Como é que um gajo se lembra de por como ocupação mãe...És um charlatão*

    ResponderEliminar
  2. Ai Rosinha do meu coração...(chiça, piquei-me nela)

    ResponderEliminar

...Simplesmente Maria.