sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Florbela...Amar.

Florbela Espanca e o poema "Amar" retratam muito do que eu fui e sou, caminheiro desta vida muitas vezes errante. Por isso, muita gente não me compreendeu e de mim se perdeu. Houve quem se tivesse sentido enganado mas isso nunca aconteceu porque incompreendido era eu! O ser humano anda sempre numa constante procura de explicações que no final não lhe servem de nada, mas quer saber sempre os porquês, se ao menos aprendesse alguma coisa com isso. Os anos passam, as mágoas ficam tal como a saudade fica quando mais um amor se vai. Difícil de entender, nem sempre fácil de aceitar por isso me perdi vezes sem conta mas acabei sempre por me encontrar, porque nesta vida o meu papel é amar:

Amar!Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"
























2 comentários:


  1. Curiosamente, este poema está sempre presente na minha vida...
    O que sempre me fascina na poesia de Florbela é sentir a sua inesgotável capacidade de amar.

    Beijinhos com amor
    (^^)

    ResponderEliminar
  2. Poema tão intensoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo:)ADORO a Florbela!

    ResponderEliminar

...Simplesmente Maria.