sábado, 5 de agosto de 2017

#queosdiassejamassim

Não há dois dias sempre iguais
Entre o deitar e o acordar
Há pesadelos no sonhar
Que são manifestos sinais.

Fazemos triste o amanhecer
Num dia em que vivos estamos 
Então porque não lembramos
A alegria que é o de podermos viver?

Deixemos que o nevoeiro passe
Que das nuvens o sol se desenlace
Numa singela e natural harmonia.

E com canteiros cheios de flores a abrir
Dos lábios nos saia um franco sorrir
Sempre ao som de um proferido "Bom dia"!


(Mariavaicomasoutras)

5 comentários:

  1. Bonjour, mon amie Marie!
    Et je souris...

    ResponderEliminar
  2. Olha, que linda poesia.
    Isto é de se ler e ficar muda
    sem saber o que dizer...
    Hoje, estás mais optimista. Gostei.

    Beijos, Mariavaicomasoutras.

    ResponderEliminar

...Simplesmente Maria.